Conteúdo

Super heróis e personagens de filmes e games vão invadir o Centro de Santos

10 de novembro de 2019
15h 01

Maria Estela Galvão

Você já deve ter ouvido falar em cosplayer, certo? E até deve ter esbarrado em alguém vestido a caráter, representando um personagem de um filme, série ou game. Ainda não? Então prepare-se: a arte do cosplay, com seus inúmeros fãs e profissionais, será um dos destaques do 3º Santos Criativa Festival Geek, que tomará conta do Centro Histórico entre 14 e 17 de novembro e realizará um concurso de cosplay nos Arcos do Valongo (Rua Comendador Neto, 3, Centro). Por isso, se você se deparar com um super-herói ou ser fantástico por aí, já sabe: está no clima da cultura pop.

O regulamento do concurso Cosplay Santos Criativa Geek Fest 2019 já está disponível aqui. O evento promete atrair dezenas de cosplayers (pessoas que se vestem como seus personagens favoritos) e será realizado em dois dias: 16 e 17 de novembro, com premiações em ambas as datas.

Será a oportunidade para os adeptos do cosplay, a arte que surgiu na década de 1970, nos Estados Unidos, desfilarem com suas roupas caracterizando personagens dos mais variados, conhecidos ou nem tanto. E sejam as fantasias confeccionadas por eles mesmos ou pelos cosmakers (sim, existem os costureiros do cosplay!), o fato é que as vestimentas e seus acessórios fazem o cosplayer mergulhar no perfil do personagem e todos à sua volta acharem que estão num cenário de videogame, série ou filme.

“Cosplayer não tem idade. Crianças, adultos, pais e filhos, pessoas de várias faixas etárias que gostam de brincar de se vestir, de fugir da realidade e de ser o personagem que gostam por um dia. É o que significa cosplay, que vem das palavras em inglês costume (fantasia) e play (brincar)”, explica o curador do concurso e promotor de eventos Carlos Afonso, o Tio Peter.

Nas categorias kids (crianças de 4 a 10 anos) e adulto, o concurso receberá inscrições momentos antes da apresentação, com limite de até 40 vagas por dia. Segundo Tio Peter, o evento é um dos grandes momentos do festival e foi ampliado em função do sucesso de 2018. “Estamos esperando bastante criatividade e, ao mesmo tempo, fidelidade em relação aos detalhes da roupa. Os inscritos vão desfilar mostrando seus figurinos para o júri. Depois, as notas serão somadas”.

De acordo com o regulamento, os cosplayers podem levar para o júri material de apoio impresso com imagem do personagem e qualquer outro documento que possa ajudar na avaliação. Os três primeiros lugares das duas categorias ganharão prêmios e troféus. Entre os adultos, o 1º colocado ganhará celular de última linha, camisa geek e troféu. O 2º receberá um kit gamer (teclado, mouse e headset) e camisa geek. E o 3º ganha um headset e uma camisa geek. Entre as crianças, troféu para o 1º colocado, um jogo de tabuleiro e um kit slime. Para o 2º, um quebra-cabeça e um kit slime. E para o 3º, também um kit slime.

JURADOS

Três jurados foram convidados para avaliar as roupas apresentadas no concurso. Um deles, Samui San, ganhou o título de melhor cosplayer do mundo em 2016, quando venceu o Cosplay Worlds Masters 2016. No ano passado, ele foi vencedor do concurso realizado pelo Festival Geek com o personagem Raiden, do jogo Metal Gear Rising.

Segundo ele, apresentar-se num evento de cosplay é mais do que ir vestido a caráter. “Eu procuro sempre ver o que o cosplayer pode trazer de criativo, seja em material ou técnica utilizada, e até onde vai a sua dedicação”.

E dedicação é o que não falta para Laís Andrea, uma professora de música de 21 anos apaixonada pelo cosplay. Em casa, são cerca de dez fantasias completas para variar em eventos. Fã do jogo League of Legends, ela escolhe os personagens que de alguma forma se identificam com a sua personalidade como Lux e Quinn. “Elas lutam muito pelo que querem, são bem destemidas”. Aliás, foi como Lux que ela concorreu no concurso do Festival Geek do ano passado. Outra preferência é pela Terra, a heroína do desenho animado Jovens Titãs em Ação, que levita ao manipular pedras e terra.

Em casa, os pais apoiam a até ajudam a preparar as roupas. “O mais legal é correr atrás dos detalhes e encontrar todas as partes da roupa”. Agora, a jovem está preparando a roupa da personagem Estelar, do Jovens Titãs, que pode ser a que usará no concurso. E já enfrenta um novo desafio. “Ela tem uma armadura no peito com uma luz que acende. Tive até que aprender a lidar com resina”.

Nerds, geeks e otakus

Dependendo da época do ano, há cosplays em maior evidência. Afinal, um filme ou game de sucesso pode fazer explodir a tendência por determinado personagem. Na arte de brincar de se vestir, há os nerds (que gostam de quadrinhos), os geeks (que são ligados em tecnologia, videogames) e os otakus (quem gosta de cultura pop japonesa, como animes e mangás).

A arte que representa hobby para muitos e profissão para outros chegou ao Japão na década de 1980, durante convenções de Star Wars e de RPG. Na terra do anime (animação produzida por estúdios japoneses), onde vestir-se de Dragon Ball, Cavaleiros do Zodíaco e Pokémon já era tradição, não foi nada difícil a moda do cosplay invadir os grandes centros japoneses. Na mesma época, ela chegou ao Brasil.

Segundo Tio Peter, os adeptos da arte devem se manter atualizados na cultura pop. “Como tem cosplay de todo tipo, depende da vontade, criatividade e do bolso de cada um”.

O Santos Criativa Festival Geek 2019 é uma realização do Santos, Visitors & Convention Bureau, Prefeitura de Santos e Governo do Estado de São Paulo, por meio do Proac. Patrocínio: Usiminas, Rede Litoral de Supermercados, Kascão e Transbrasa. Apoio: Instituto Usiminas e DFS Gol Business. Apoio institucional: Ibis Santos Valongo, Pens and Dolls, Gamer XP, Comix e Roxy.

Galeria de Imagens

cosplayer faz pose no emissário #pracegover

Feedback

Ajude-nos a tornar o Santos Portal melhor. Deixe um comentário, dúvida ou sugestão.