Conteúdo

Novo CCO Santos integrará serviços por meio de alta tecnologia

29 de agosto de 2018
16h 09

PATRÍCIA FAGUEIRO

Uma grande central de inteligência no embasamento do Paço Municipal. Dessa forma pode ser definido o Centro Integrado de Gestão do Atendimento e do Monitoramento Urbano de Santos (CCO Santos), que deve ser entregue no início de 2019.

Além de abrigar o Sistema Integrado de Monitoramento (SIM), que recebe imagens das 1.193 câmeras distribuídas pelo município, o novo CCO se sustenta em mais dois pilares: trânsito/transportes e serviços públicos.

Por meio de um sistema informatizado, denominado Comando e Controle, haverá uma central única de atendimento ao munícipe, que será responsável pelo rápido encaminhamento da solicitação aos órgãos competentes, que terão acesso às informações do CCO. 

O objetivo é agilizar o tempo de resposta das demandas cotidianas e auxiliar no desenvolvimento de medidas que previnam crises, além de rápida atuação em momentos emergenciais. 

Em relação à segurança, o sistema estará integrado à Polícia Militar, havendo ainda a possibilidade de atuação conjunta com outros entes, colaborando inclusive, com investigações. 

No que se refere ao transporte público, O CCO estará integrado com a CET e haverá aprimoramento de informações relativas ao trânsito, situação semafórica, acompanhamento das linhas de ônibus, entre outros. 

Para os serviços públicos, toda a área de fiscalização da Prefeitura estará ligada às concessionárias CPFL, Comgás e Sabesp, de forma a ampliar a precisão de diagnóstico e de resolução de demandas. 

Ou seja, haverá acompanhamento e integração em tempo real sobre as situações que afetam diretamente o dia a dia da população. Esta, inclusive, terá canais de interação direta com o CCO, que estão em fase de desenvolvimento. No caso de quedas de árvore, alagamentos, congestionamentos de trânsito, por exemplo, terão informações que auxiliarão a evitar algumas vias.

 

INTERATIVIDADE

 

“Todas as informações serão integradas, vindas de sistemas já existentes, para uma base de dados nova, para que todos os que atuam no CCO tenham acesso rapidamente. Há ainda a previsão de um aplicativo para o cidadão, que permitirá ao munícipe enviar fotos para a Administração de uma situação captada naquele momento, que poderá ser avaliada em tempo real ainda pelas câmeras de monitoramento”, explica Paulo Roberto de Oliveira Souza, analista de sistemas da Prefeitura.

 

Grupo desenvolve processos para novo setor

 

Para mapear processos e desenvolver os procedimentos a serem adotados no CCO, foi criado um Grupo Técnico de Trabalho (GTT) voltado para a sua implantação. Atualmente, é formado por integrantes das secretarias de Governo, Gestão, Infraestrutura e Edificações, Segurança e Finanças. 

“O CCO vai permitir uma gestão melhor das emergências, tem uma sala específica para esses casos, estará conectado também com a sala de situação da Prefeitura. Mas o importante é que vamos aproveitar todo o investimento para as ações do dia a dia da Prefeitura e prevenir crises”, destaca Cláudia Maria Sodero Salles, coordenadora do GTT. 

Após a entrega do equipamento, o GTT ainda estará constituído por mais um ano, de forma a aperfeiçoar os procedimentos já com o sistema em funcionamento.

 

Tecnologia

Para a aquisição e instalação de infraestrutura de telecomunicação, equipamentos de informática e software para o CCO, foram investidos aproximadamente R$ 26,7 milhões. Tudo com o objetivo de modernizar o datacenter municipal; e remodelar a operação da central de controle, de banco de dados e de rede, para suportar o funcionamento 24 horas, sem interrupções. 

Dezesseis telas, de 70 polegadas cada, formam o vídeo wall, estrutura por meio da qual será possível reproduzir gráficos, mapas e relatórios em tempo real. Será possível destacar uma única imagem em 4 telas simultaneamente para visualizá-la melhor. 

O novo CCO faz parte do projeto ‘Santos Conectada’, que prevê a comunicação de 100% das unidades municipais da área insular por meio de mais de 420 km de fibra ótica, tecnologia que permite velocidade de banda larga mais eficiente, em especial para as câmeras de monitoramento. Hoje, estão instalados 300 km de fibra ótica. 

“Nossa rede MAN (Metropolitan Area Network, rede própria de telecomunicações da Prefeitura) tem equipamentos de ponta, com velocidade de 10 Gigabites por segundo tanto para download (entrada de dados) quanto para upload (saída de dados) no anel principal da rede de fibra ótica. O CCO receberá todas as informações das estruturas que utilizam a rede de fibra ótica para comunicação, como os semáforos, comportas dos canais (em breve), por exemplo”, destaca Roberto Cruz, analista de sistemas da Prefeitura.

 

Obra civil tem 85% dos serviços executados

ANA HERNANDEZ

A instalação do CCO é realizada em três etapas, sob o gerenciamento da Secretaria de Infraestrutura e Edificações: obra civil, infraestrutura para lógica e implantação de equipamentos de lógica. A primeira é a reforma dos 800 m² de todo o andar do embasamento, com projeto para salas de monitoramento, crise, segurança, atendimento, operação, reunião e imprensa.

Abrange estrutura elétrica, gerador, hidráulica, climatização, iluminação, alvenaria, pisos, sistema de gestão predial, combate e detecção a incêndio, controle de acesso, infraestrutura de rede lógica e monitoramento interno. Um total de 85% dos serviços estão prontos e é realizada a implantação do sistema de energia estabilizada e ininterrupta (no break), segunda etapa.

A obra civil deve ser concluída em outubro, quando começa a última etapa: instalação dos equipamentos de lógica (microcomputadores, estações de trabalho, softwares etc.). O CCO soma investimento total de R$ 31,1 milhões, recursos do Governo do Estado, BNDES e Município.

 

Foto: Susan Hortas/arquivo

 

Feedback

Ajude-nos a tornar o Santos Portal melhor. Deixe um comentário, dúvida ou sugestão.