Conteúdo

Estudo para avaliar circulação do coronavírus será feito por amostragem em quatro etapas

19 de abril de 2020
21h 56

A pesquisa epidemiológica que identificará o nível de circulação na região do novo coronavírus, causador da covid-19, será feita por amostragem, via sorteio, e terá quatro etapas a cada 15 dias para verificar a evolução da pandemia. Cada uma delas abrangerá 2.500 pessoas dos nove municípios da Baixada Santista, distribuídas proporcionalmente pelo número de habitantes – em Santos, estima-se cerca de 600 participantes.

O assunto foi pauta de live no Facebook e Instagram realizada neste domingo (19) pelo prefeito Paulo Alexandre Barbosa e pelo médico infectologista Marcos Caseiro, da Secretaria de Saúde (SMS), à frente do estudo que abrangerá total de 10 mil pessoas da Baixada Santista.

Financiado pelo Condesb, a custo zero para os municípios, será desenvolvido em parceria com universidades locais e norteará um plano de retomada das atividades na Cidade. “É algo inédito, um estudo sério e, com ele, teremos a verdadeira situação do percentual de pessoas que se infectaram. Os técnicos coletarão uma gota de sangue dos dedos de cada pessoa, que ainda preencherá um questionário detalhado”, explicou Caseiro.

O prefeito ressaltou a importância de subsídio técnico para a tomada de decisões. “Santos tem mais de 80 mil pessoas acima de 60 anos. Seria uma irresponsabilidade abrir tudo, então, tomamos decisões ouvindo especialistas. A pesquisa, com previsão de resultado até 10 de maio, estabelecerá os próximos passos. Cada vez mais estamos perto de voltar às atividades, mas precisamos fazer com responsabilidade e pedimos que as pessoas tenham respeito às regras. É importante ter consciência coletiva”, disse o prefeito.

O estudo segue exemplo de pesquisa realizada pela Universidade de Pelotas, no Rio Grande do Sul. Caseiro ressaltou ainda que se trata de doença de alta transmissão e mortalidade. “A ciência não tem, nesse momento, outra alternativa. Não temos vacina nem medicação. Por isso, ela diz: isolamento social. Isso não é achismo, é o caminho que o mundo inteiro fez, pois uma vida não tem preço”, acrescentou o médico.

A Prefeitura se dedica também na elaboração de um plano de retomada econômica junto a grupo técnico da Administração Municipal e especialistas do setor econômico da Cidade.

MÁSCARAS PARA TODA A POPULAÇÃO

Dentro do plano de retomada, o Fundo Social de Solidariedade (FSS) contrata costureiras e cooperativas de costura que queiram colaborar na produção de máscaras de tecido de proteção individual contra o coronavírus, a serem distribuídas a toda população. Interessadas podem enviar e-mail para fundosolidariedade@santos.sp.gov.br.

“Teremos um mundo antes e depois da covid-19 e vamos voltar gradualmente, com todos os procedimentos de segurança. Por isso, o Fundo Social está cadastrando costureiras para produzir o maior volume possível de máscaras, que serão entregues à população”, afirmou Barbosa.

O pagamento será realizado por produção, na modalidade RPA (Recibo de Pagamento de Autônomo). As costureiras recebem kits de tecido TNT e linha para produção em suas residências.

Feedback

Ajude-nos a tornar o Santos Portal melhor. Deixe um comentário, dúvida ou sugestão.