Conteúdo

Aprenda a fazer a sua composteira em casa

4 de junho de 2020
15h 27

Maria Fernanda Kreling

Com o objetivo de engajar cada vez mais santistas nas questões ambientais, a Semana do Meio Ambiente está promovendo mais de 40 atividades de maneira virtual. Entre as dezenas de assuntos abordados, destaque para a compostagem, sistema de reciclagem que transforma restos de alimentos em adubo. A tecnologia é mais simples do que parece e pode ser feita até em casa. Por isso, o Santos Portal pediu uma ajuda ao chefe da Seção de Educação Ambiental do Jardim Botânico, Victor Nagib, para ensinar o passo a passo de como elaborar uma composteira caseira.

  • O que é uma composteira?

A composteira caseira é um sistema de reciclagem dos resíduos orgânicos onde minhocas e microorganismos transformam restos de alimentos em adubo de excelente qualidade, denominados húmus e biofertilizante. É um sistema prático, compacto, higiênico e de fácil manuseio que não produz cheiro nem atrai insetos e animais indesejados. “A composteira contribui para minimizar os impactos do descarte de resíduos orgânicos nos aterros sanitários e, de quebra, ainda produz de maneira caseira um biofertilizante potente para nutrir as plantas domésticas”, explica Nagib.

  • Como produzir?

Para produzir uma composteira, será necessário dois ou três recipientes plásticos com tampa, podendo ser grandes, como baldes de tintas de 20 litros ou potes de sorvete de 2 litros.

As caixas deverão ser empilhadas. A de cima deverá ter alguns furos no topo das laterais (logo abaixo da tampa, na lateral). Também deve haver furos no fundo, por onde passarão as minhocas. Nesta primeira caixa, devem ser depositados o resíduo orgânico, a serragem (ou folhas secas) e as minhocas.

A caixa de baixo deve ter a tampa recortada em seu diâmetro, quase na totalidade, para que escorra o biofertilizante.

As espécies mais indicadas para a realização da compostagem são as vermelhas da califórnia (Eisenia fetida) e a Eisenia andrei, por terem boa taxa de reprodução e de metabolização, fazendo com que o composto se decomponha mais rápido. “Essas minhocas podem ser compradas pela internet e são indicadas pois sua alimentação tem como base os resíduos descartados por humanos, como talos de frutas, hortaliças e grãos”.

  • Resultado

Como resultado do processo, é gerado o húmus e o biofertilizante líquido. Este deve ser diluído na proporção de 1 para 10, na água. “Esse líquido deve ser usado para irrigar as plantas, uma vez por mês”, explica Nagib. Já o húmus deve ser misturado junto com a terra, na proporção de 1 para 3, para plantar ou colocar embaixo da terra para melhor absorção.

  • Restrições de alimentos na composteira

O que pode

  • Frutas
  • Legumes
  • Verduras
  • Grãos e sementes
  • Sachê de chá (sem etiqueta)
  • Borra e filtro de café
  • Cascas de ovo

O que pode moderadamente

  • Frutas cítricas
  • Alimentos cozidos
  • Guardanapos e papel toalha
  • Óleos e gorduras
  • Flores e ervas (medicinais ou aromáticas)
  • Laticínios
  • Papel e papelão (sem plásticos, químicos ou tintas)
  • Temperos fortes (pimenta, alho, cebola)
  • Limão

O que não pode

  • Carnes
  • Fezes de animais carnívoros
  • Papel higiênico usado

Leia também:

Cursos ensinam sobre produção de composteiras, plantio de mudas e objetos recicláveis

Fotos: Susan Hortas 

Galeria de Imagens