Conteúdo

Vigilância sanitária intima 14 bufês a efetuar melhorias

23 de abril de 2019
17h 59

Um total de 14 bufês que estavam com a licença sanitária vencida e sem processo de regularização em andamento foram intimados a efetuar melhorias em prazo de 30 dias corridos (prorrogáveis por mais 30) para normalizar a situação.

As determinações foram emitidas pela vigilância sanitária do Município (Sevisa) em março, quando fiscais do setor visitaram os estabelecimentos. Apenas um foi multado no dia da fiscalização, no valor de R$ 1.810,54, por más condições de higiene.

A segunda fase da vistoria será em maio, quando os fiscais retornam para averiguar se as solicitações foram atendidas. Quem não se adequar, receberá multa de R$ 1.810,54 – valor que duplica no caso de reincidência.

Os casos de sete outros bufês foram encaminhados para setores da Prefeitura responsáveis por vistoriá-los: quatro estão com problemas no alvará e três apresentam algum impedimento por causa de obras. Ou seja, nenhum destes possui licença sanitária.

Não foram alvo da fiscalização da vigilância sanitária os bufês que possuem licença sanitária vigente ou cujo processo para obtenção desse documento esteja em em andamento.

“A ação tem caráter educativo e de orientação aos bufês, de forma a garantir mais segurança a quem utiliza o espaço”, destaca Fernando Jorge de Paula, chefe da Sevisa.

 

Clientes devem ficar atentos antes de contratar

 

Antes de contratar um serviço de bufê, o cliente pode solicitar o alvará de funcionamento e a licença sanitária. Esses documentos, embora tenham validade, são emitidos a partir da situação do estabelecimento em uma determinada data e não dispensam o olhar atento do possível contratante.

“O cliente pode visitar a cozinha do estabelecimento, onde é importante prestar atenção na integridade de pisos e azulejos, limpeza e armazenamento dos alimentos. Olhar embaixo de pias e mesas também é importante, já que são lugares onde os insetos costumam se esconder. Os funcionários que atuam nesse ambiente devem estar asseados, utilizar touca, ter unhas aparadas e limpas e seguir normas de manipulação de alimentos”, destaca Fernando.

Para complementar, é importante verificar se há infiltrações e mofo em paredes e teto, bem como a integridade e limpeza dos brinquedos e a existência de placas com informações das manutenções preventivas dos equipamentos.

 

DENÚNCIAS

 

Qualquer munícipe pode denunciar uma situação irregular à Sevisa por meio da Ouvidoria Municipal: telefone 162, site www.santos.sp.gov.br/ouvidoria ou pessoalmente no Paço Municipal (Praça Mauá, s/nº, térreo – Centro), de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h.

 

 

Feedback

Ajude-nos a tornar o Santos Portal melhor. Deixe um comentário, dúvida ou sugestão.