Conteúdo

Viaduto da entrada de Santos avança e revela novas formas

17 de setembro de 2019
20h 03

ELAINE ALVES

A cada avanço nas obras do viaduto que está sendo construído na entrada da Cidade, no encontro das Avenidas Martins Fontes e Nossa Senhora de Fátima, formas e dimensões diferentes são reveladas. A pista do viaduto do lado da Nossa Senhora de Fátima, no trecho em caixão perdido - parte visualmente semelhante a um cálice com paredes laterais curvas e extensas, formando um grande vão no meio – é um desses formatos diferenciados.

Visto do alto, lembra uma estrutura náutica pela sua grandeza. “Apesar da forma não muito convencional nessa fase da obra é um viaduto”, responde o coordenador de Produção da Terracom, engenheiro Fernando Soares Salvador quando perguntado, em tom descontraído, se a forma vista no local é um navio, um avião ou um viaduto.  

“Esse viaduto tem uma geometria não trivial e demanda trabalho artesanal em madeira”, destacou o coordenador Salvador. Ele explicou que geralmente as estruturas são quadradas, retangulares ou planas e, nesse caso, o formato é de curvatura exigindo estrutura especial.

Marcenaria e carpintaria - Toda a parte de madeira utilizada na obra do viaduto é preparada no próprio canteiro. As madeiras chegam numa dimensão maior e precisam ser traçadas de acordo com cada formato de curva, peça por peça. “É um trabalho minucioso e muito cuidadoso. A equipe faz tudo na bancada. A evolução é feita a cada peça”, destacou o coordenador Salvador.

O carpinteiro Evando Claiton de Rezende Monteiro integra a equipe de trabalhadores do viaduto. Dentre os serviços que realiza, ele faz a colocação de assoalhos, ripas e tudo o que for relacionado com madeira. “Estou feliz em participar dessa obra esperada há anos e que vai melhorar o fluxo do trânsito na Cidade”, afirmou Rezende.     

ETAPAS

Nesse trecho da pista do viaduto, lado Nossa Senhora de Fátima, após o revestimento das formas com placas de madeira curvadas - colocadas para que o concreto tome essa forma após a secagem, e também após o término do assoalho e madeiramento será iniciada a armação.

Essa fase consiste na colocação de barras de aço para revestir o madeiramento como se fosse uma costura e, na sequência, vem a concretagem. Na configuração desse trecho da pista, feita em caixão perdido, a concretagem é feita em três etapas: o fundo com média de 30 a 40 cm de concreto; as duas paredes laterais em torno de um metro de altura e uma nova estrutura no meio para sustentação. Só então é feito o concreto para o tabuleiro que é a pista propriamente dita.

PROGRAMA

O elevado será entregue em julho de 2020 e as obras estão sendo realizadas pela Terracom, que venceu a licitação da terceira etapa do Programa Nova Entrada de Santos.

Galeria de Imagens

Vista geral da estrutura, com madeira aparente e homens trabalhando no topo. #Pracegover