Conteúdo

Vandalismo gera gastos de R$ 1,3 milhão com reparos em toda Cidade

31 de março de 2018
15h 26

Alambrados, vidros e luminárias quebrados; monumentos e lixeiras de concreto pichados; válvulas de descarga, fechaduras de portas e portões, tampas de poços de visita, grelhas de bocas de lobo e cabos elétricos roubados. Atos de vandalismo contra espaços públicos geraram à Prefeitura, em 2017, prejuízo de cerca de R$ 1,3 milhão em manutenção.

Segundo a Secretaria de Serviços Públicos (Seserp), só na orla foram R$ 240 mil destinados para reparar danos causados pela violência contra o patrimônio público. Na praia, os principais alvos são monumentos, lixeiras de concreto e estações de ginástica; bancos de madeira plástica e brinquedos na faixa arenosa. E ainda os 47 conjuntos de chuveiros e lava-pés, onde a ação de vândalos consiste em colocar palitos para prolongar a circulação da água; banheiros dos postos de salvamento e postes de iluminação.

Ao todo são R$ 20 mil gastos por mês em toda a extensão da praia. “Com o total de gastos com vandalismo em todo a Cidade daria para construir uma creche pequena para 30 alunos, por exemplo. A maioria dos problemas ocorre na Zona da Orla/Intermediária, seguido do Centro e da Zona Noroeste. Isso está atrelado a razões de cunho educacional, infelizmente”, afirma o Subprefeito da Região da Orla e Zona Intermediária, Anísio Xavier Teixeira Júnior.

Segundo ele, as luminárias chamadas de ‘peões’, instaladas no calçadão próximo à faixa de areia, com lâmpadas de 150 watts, são constantemente apagadas por sujeitos mal-intencionados. Ainda por conta do vandalismo, das 67 torres de iluminação da faixa de areia, em metade a Seserp já fez o alteamento em 3m da caixa onde fica o quadro de controle das torres, para dificultar o acesso de vândalos.

As tampas metálicas das caixas de passagem que ficam ao longo da ciclovia também são roubadas. “Estamos trocando tudo por alvenaria”, conta.

Postos de salvamento passam por reformas

Desde outubro, a Seserp realiza reformas nos postos de salvamento - já foram concluídas as dos postos 1, 6 e 7. O próximo será o 2, com obras previstas para início do 2º semestre, com custos de R$ 20 mil. As melhorias consistem em impermeabilização para evitar infiltração; troca do piso da parte superior; reforma de portões e portas; e pintura geral.

Também alvo de vandalismo, os banheiros dos sete postos, que contam com limpeza diária feita por empresa terceirizada, permanecem fechados das 23h às 6h. “Para se ter ideia, colocamos o assento de um vaso sanitário em um dia, no dia seguinte não tem mais”, diz Anísio, ressaltando que é feita poda de árvores periódica para não prejudicar a visão das câmeras de monitoramento.

Denúncias

O vandalismo pode ser denunciado pelos telefones 0800 112056 (Ouvidoria), 153 (Guarda Municipal) e 190 (Polícia Militar).

 

Fotos: Raimundo Rosa 

Galeria de Imagens

Banco da praia quebrado #pracegover
Suporte do banco da praia sem a parte de madeira #pracegover