Conteúdo

UPA da Zona Leste terá obras concluídas em março

26 de fevereiro de 2020
17h 38

Com 95% dos trabalhos executados, a obra da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Zona Leste deve estar pronta até março. O prazo foi estipulado após vistoria realizada na manhã desta quarta-feira (26) por técnicos da Prefeitura.

No local também esteve o prefeito Paulo Alexandre Barbosa, acompanhado dos secretários de Infraestrutura e Edificações (Siedi), Ângelo José da Costa Filho, e de Saúde (SMS), Fábio Ferraz.

A nova UPA, com três pavimentos (subsolo, térreo e primeiro andar), foi erguida no mesmo terreno do antigo pronto-socorro (Praça Visconde de Ouro Preto s/n, Estuário) e será três vezes maior do que a unidade anterior, com 3 mil metros quadrados. Funcionará 24 horas e oferecerá atendimento odontológico.

A obra tem investimentos de R$ 8,5 milhões, sendo R$ 4 milhões do Ministério da Saúde, R$1,8 milhão do Termo de Responsabilidade de Implantação de Medidas Mitigatórias e Compensatórias (TRIMMC) com a empresa AGEO, R$1,1 milhão do Estado e R$ 1,6 milhão da Prefeitura.

 

Etapa

Segundo o arquiteto da Siedi Roger Guerra, está sendo finalizada a colocação de vidros, esquadrias, piso paviflex e rampas de acesso ao subsolo, além da montagem dos dois elevadores. Ele afirmou que a rede de gases medicinais já foi instalada e testada. Além disso, o serviço de paisagismo igualmente vem sendo realizado, com uma alameda interna de integração da UPA com uma escola estadual localizada ao lado. Equipamentos e mobiliário também foram adquiridos. A Secretaria de Serviços Públicos (Seserp) fará a poda das árvores no local e no entorno.

 

Rede de atendimento

“Esta é a terceira UPA, que vem se somar à Central e à da Zona Noroeste, concluindo a remodelação da rede de urgência e emergência da Cidade”, disse Ferraz. O secretário explicou que a UPA não é unidade de internação, mas para estabilizar o paciente, que então é encaminhado ao hospital pelo SAMU. 

Ele informou que está em curso (fase recursal) o processo seletivo para escolha da Organização Social (OS) que fará a gestão compartilhada do serviço com a SMS, nos mesmos moldes das UPAs Central e Noroeste e do Complexo Hospitalar dos Estivadores. Assim que a UPA for entregue, será desativado o Pronto-Socorro da Zona Leste. “É uma unidade 100% acessível, informatizada, climatizada e monitorada”, destacou.

 

Estrutura

Depois de qualificada e habilitada, a unidade poderá receber repasse federal de até R$ 500 mil/mês. O custo total para manutenção é de R$1,7 milhão/mês.
Haverá R$ 1,1 milhão em recursos para equipagem, destinados pela Agem (Agência Metropolitana da Baixada Santista).

A unidade realizará por mês 2,7 mil procedimentos ambulatoriais, 12 mil exames diagnósticos e 15 mil atendimentos de consultas médicas. Contará com cerca de 200 profissionais de saúde, e 30 leitos, sendo quatro de emergência e dois de observação pediátrica; cinco consultórios, sendo três de clínica geral, ortopedia e pediatria; salas de raio-X, de imobilização (gesso), inalação, curativos e suturas, e emergência; base fixa da Guarda Municipal  e do SAMU, com área para desembarque de ambulância, entre outros espaços.