Conteúdo

Trotes ao Samu diminuem, mas ainda são 20% do total de chamados

13 de janeiro de 2019
11h 00

Dos cerca de 4 mil chamados telefônicos recebidos mensalmente pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) em Santos, uma média de 800 (20%) são trotes – alguns identificados ainda na central telefônica, outros, infelizmente, classificados como falsa ocorrência após a equipe de socorristas chegar ao local e não encontrar a situação descrita por telefone.

A Central é regional e recebe chamados de Santos, Bertioga e Guarujá.

A quantidade de trotes, entretanto, já foi maior. Entre 2017 e 2018, foi observada uma redução de 35% dos falsos chamados - fruto de uma maior conscientização da população por intermédio de um projeto do próprio serviço, o Amigos do Samu, em parceria com o Rotary Santos Oeste.

“Vamos às comunidades, escolas e temos parceria com o Camps (Centro de Aprendizagem e Mobilização Profissional e Social). Além de treinamentos de primeiros socorros (engasgos, crises convulsivas, como conter pequenos sangramentos), o projeto também orienta em relação ao acionamento do Samu visando a prevenção do trote. Só do Camps, capacitamos mais de 3 mil jovens, que se tornam multiplicadores”, destaca Luiz Carlos dos Santos, enfermeiro intensivista responsável pelas capacitações oferecidas pelo Samu.

O Amigos do Samu está à disposição de empresas e escolas que queiram capacitar os seus funcionários e alunos para lidarem com situações de urgência e emergência e se tornarem multiplicadores das informações transmitidas.

“No caso de uma vítima com parada cardíaca, por exemplo, a ideia é que a pessoa que esteja ao lado dela já inicie a ressuscitação cardiopulmonar, por meio das massagens cardíacas, para oxigenar o cérebro até a equipe do Samu chegar”, destaca Luiz Carlos.

O interessado deve fazer a solicitação pela Coordenadoria de Formação e Educação Continuada (Coform), da Secretaria de Saúde, pelo e-mail coform-sms@santos.sp.gov.br.

 

 

Atendimento em três etapas

O atendimento realizado pela Central Telefônica do Samu procura ser o mais minucioso possível para, além de identificar trotes, poder orientar quem está do outro lado da linha (afinal, há chamados que são resolvidos por orientações transmitidas por telefone) e priorizar os casos mais urgentes no deslocamento de equipes e ambulâncias.

A primeira pessoa que atende ao telefone é o técnico auxiliar de regulação médica, responsável por identificar a situação da vítima e o local exato da ocorrência. Depois, a ligação é encaminhada ao médico regulador, que tem a função de, por meio de questionamentos, identificar a gravidade do paciente, priorizar os atendimentos e orientar quem está do outro lado da linha a como proceder.

Por fim, os operadores de rádio entram em contato com a base do Samu mais próxima ao local da ocorrência (veja locais abaixo) e encaminham as ocorrências de acordo com a prioridade estabelecida pelo médico regulador.

           

BASES

Santos possui dez bases do Samu: Rádio Clube (Praça Jerônimo La Terza s/nº), Nova Cintra (Av. Santista, 1.308), Caruara (Rua Andrade Soares s/nº), São Manoel (Praça Nicolau Geraigire s/nº), Encruzilhada (Rua Barão de Paranapiacaba, 241), Hospital de Pequeno Porte (Av. Cláudio Luiz da Costa, 280), Castelinho (Praça Andrade Neves, 14 – Vila Nova), Bombeiros na Ponta da Praia (Rua Prof. Olavo de Paula Borges, 37), Pronto-Socorro da Zona Leste (Av. Afonso Pena,382) e Complexo Hospitalar da Zona Noroeste (R. Min. Agamenon Magalhães s/nº).

 

 

Quando acionar o Samu (telefone 192 – chamada gratuita)

  • Problemas cardiorrespiratórios
  • Situações de intoxicação (produtos químicos, veneno, medicação)
  • Queimaduras graves; - Afogamentos (em conjunto com o Corpo de Bombeiros – 193)
  • Na ocorrência de maus-tratos (em conjunto com a Polícia Militar - 190)
  • Trabalhos de parto com risco de morte da mãe e do feto
  • Crises hipertensivas
  • Acidentes/trauma com vítimas (em conjunto com Bombeiros – 193)
  • Tentativa de suicídio (em conjunto com PM – 190 ou Bombeiros - 193)
  • Surtos psiquiátricos (em alguns casos, em conjunto com PM – 190)
  • Violência sexual/ agressão (em conjunto com PM – 190)
  • Situações de choque elétrico (em conjunto com Bombeiros – 193)
  • Acidentes com produtos perigosos (com Bombeiros – 193)

 

Orientações

Em caso de acidentes com traumas, deve-se deixar a vítima como foi encontrada e fazer o acionamento do Samu, procurando isolar o local

É preciso manter a calma para passar os dados ou pedir para alguém mais próximo, em condições equilibradas, transmitir as informações

 

Foto: Isabela Carrari