Conteúdo
Notícias

Tias baianas do samba santista são homenageadas em dia dedicado a elas

Publicado: 25 de novembro de 2021 - 18h19

A tarde desta quinta-feira (25) foi marcada por uma justa homenagem às 16 tias baianas do samba santista, em solenidade realizada no Teatro Guarany. O tributo fez parte das comemorações do Dia Estadual das Tias Baianas das Escolas de Samba de São Paulo, criado pela lei 15.148/2013.

A normativa exalta a força das mulheres que formam a ala das baianas, considerada uma das mais importantes de uma escola de samba. Apesar de não constar dos quesitos de julgamento, a ala é presença obrigatória em todas as agremiações, tanto por força do regulamento quanto pelo vínculo à tradição.

Carregada de simbologia, a ala das baianas representa o elo histórico entre o samba e as antigas Tias Baianas dos primeiros grupos de samba do início do século 20. A ala tem a função de aludir às origens afro-baianas do samba, elo tradicional que ainda mantém as escolas de samba unidas às suas raízes.            

“Essa é a primeira vez que comemoramos este dia com uma solenidade em Santos, e desejamos que as outras cidades da Baixada também reconheçam o valor destas mulheres incríveis”, destacou o secretário de Cultura, Rafael Leal.

Presente à solenidade, a deputada estadual Leci Brandão - autora da lei - destacou a relação que Santos tem com o samba e com a cultura. “Essa é uma cidade muito ligada às raízes africanas. Eu sempre me senti muito feliz aqui, ao longo dos anos, pois a minha arte sempre teve muito a ver com a minha realidade e com a das pessoas daqui”.

HOMENAGEADAS

Foram homenageadas as tias baianas Maria de Lourdes Barbosa (Mãos Entrelaçadas), Carmen Lucia Lamela Fernandez (Império da Vila),  Marlene Medeiros Pereira, (Mocidade Independente), Idalina Alves Campo (Vila Mathias), Selma Alves de Brito (Imperatriz Alvinegra), Valéria Aparecida Paz Pereira (Sangue Jovem), Edna da Cruz (Dragões do Castelo), Maria de Fátima Guilherme dos Santos (Acadêmicos Bandeirantes do Saboó), Maria Damiana Silva Almeida (Real Mocidade Santista), Regina de Jesus dos Santos (Unidos da Zona Noroeste), Marcia Conceição Rodrigues Santos (Unidos dos Morros), Maria Helena Gomes Camargo (União Imperial), Jacira Amélia Silvano Azevedo (Padre Paulo), Nilza Moreira Rodrigues (Mocidade Amazonense), Vilma da Silva Pereira (Brasil) e Ruth Almeida Lazaro (X-9).

“É uma emoção muito grande ser reconhecida, ainda mais ao lado de tantas mulheres que fizeram história. Não consegui conter as lágrimas”, comentou dona Idalina Alves Campo, que não apenas desfila, como também confeccionou a primeira fantasia das alas das baianas da escola de samba Vila Mathias, no ano de fundação da agremiação, em 2008.

A solenidade desta quinta-feira contou também com uma roda de samba, comandada pela cantora Didi Gomes e pelo instrumentista e compositor Rubens Gordinho.

Galeria de Imagens

Roda de samba com cantora Didi Gomes e Rubens Gordinho.