Conteúdo

Técnica búlgara volta a Santos para incrementar coreografia de ginastas

3 de setembro de 2019
17h 52
técnica búlgara conversa com ginasta #pracegover

Olhos atentos à postura, flexibilidade, expressão corporal e aos movimentos de três meninas que integram da equipe santista de ginástica rítmica, mantida pela Prefeitura. Toda atenção da ex-atleta e técnica búlgara da modalidade Yordanka Nikolaeva Zarkova está focada nas ginastas Sara, Giovana e Julia até o fim desta quarta-feira (4). São dois dias intensos de avaliações, correções e inovações que vão preparar ainda mais as jovens atletas para as competições dos Jogos Abertos do Interior (Marília), Torneio Nacional (São Bernardo do Campo) e Campeonato Brasileiro (Brasília).

Nesta terça (3), o encontro delas ocorreu na Vila Criativa da Vila Nova, um dos locais de treino das jovens atletas. Em meia hora de observação, diversos apontamentos como a correção de vício em segurar erroneamente as maças - um dos aparelhos usados pelas atletas - e a cobrança para fixar, por alguns segundos, um dos pés no alto da cabeça – em uma demonstração de equilíbrio, concentração e flexibilidade.

“Os detalhes fazem a maior diferença no final de uma competição; são muito importantes para a arbitragem. E as meninas precisam ter essa consciência na hora de executar porque, apesar delas saberem, muitas vezes acabam se utilizando de vícios que facilitam a execução e tiram pontos da nota”, explica a técnica. Mas o nível de exigência da treinadora também teve o outro lado: “elas melhoraram muito desde o que vi ano passado em campeonatos. Estão mais conscientes, ágeis e conseguem fazer mais exercícios com os aparelhos”.

Yordanka foi convidada mais uma vez pelo técnico da equipe, Thiago Hermenegildo, para trazer novos conhecimentos, incremento às séries e coreografias em fase de ensaio para serem apresentadas individualmente nos próximos campeonatos. “O ritmo de treino de uma técnica búlgara é diferente do nosso. É um choque para as meninas, mas interessante para os corpos delas. Ela sempre vem com técnica nova, até porque circula pela Europa. Como as ginastas estão acostumadas com a minha linearidade, um estímulo completamente diferente trará bons resultados”.

Das atletas, Julia Agrela, 15 anos, sete deles dedicados ao esporte, considera a vinda da treinadora estrangeira uma oportunidade que merece foco e aproveitamento, apesar de sentir um ‘frio na barriga’ ao se apresentar. “Ela sempre acrescenta muito em nossas coreografias, traz muitas coisas que não conhecemos. É muito bom tê-la conosco mesmo que estejamos um pouco nervosas, porque sempre queremos melhorar. Mas é importante passar por isso e nos sentimos gratas por ela estar aqui”.

NÍVEL DE EXIGÊNCIA

O biotipo da atleta é muito importante; precisa ser longilíneo. A isso, associa-se a dedicação para obter maior flexibilidade, conforme Yordanka. “A ginástica tem muitos exercícios que precisam de flexibilidade de coluna, além das pernas, e conquistar isso sem dor é impossível. Até agora, ninguém criou a fórmula de trabalhar esse quesito milagrosamente”.

Segundo a técnica, a importância da agilidade ganha novo status nas competições atuais. “Atualmente, a exigência do código e como são feitas as notas exigem uma velocidade absurda dentro das coreografias para obter maior nota”, diz. Também se reconhece uma boa atleta quando se consegue prestar atenção na música da coreografia e ter expressão corporal. “É muito importante ter presença na quadra. Existem ginastas boas tecnicamente, só que muito secas, não te passam nenhuma emoção. Então, cada fator tem o seu peso. Se conseguimos juntar tudo isso ao equilíbrio psicológico e à vontade, temos uma ótima atleta”.

A equipe santista, formada por 20 meninas, de 9 a 23 anos, treina de cinco a seis vezes por semana, das 14h às 18h. Elas também recebem preparação com aulas de balé, às segundas-feiras, para alinhar o corpo; e fazem pilates também, atividades para alavancar o mais alto nível de rendimento, segundo Hermenegildo.

As atletas estão divididas em quatro categorias: pré-infantil, infantil, juvenil e adulto, e competem em nível estadual, nacional e internacional.

PROJETO POPULAR

Além de técnico da equipe santista, Thiago Hermenegildo é coordenador do projeto de popularização da ginástica rítmica em Santos, iniciado neste ano em seis núcleos (Vila Criativa da Penha, Vila Participam cerca de 400 alunas que têm contato com o esporte, numa espécie de vivência. Criativa da Vila Nova, Centro Esportivo M. Nascimento Júnior, Centro Esportivo e Recreativo Rebouças, Clube de Regatas Vasco da Gama e Brasil Futebol Clube - fruto de parceria com Prefeitura).

As aulas do projeto são realizadas duas vezes por semana, com uma hora de duração. “Elas aprendem as posturas básicas, tocam nos aparelhos. A ideia é, a partir dessa vivência, poder selecionar quem pode ser treinada em equipes de competição”, explica o coordenador do projeto.

A ginástica rítmica foi trazida para Santos em 1986 e era realizada apenas no Rebouças (Ponta da Praia). Depois, passou a ser aplicada no M. Nascimento (Bom Retiro).

Fotos: Susan Hortas 

Galeria de Imagens

Atleta faz movimento observada por técnica búlgara #pracegover
Búlgara mostra movimento com a mão para atleta #pracegover
Atleta se apresenta para búlgara, sentada à frente #pracegover

Feedback

Ajude-nos a tornar o Santos Portal melhor. Deixe um comentário, dúvida ou sugestão.