Conteúdo
Notícias

Sopesp vai levar ao cap proposta de repasse direto de impostos à prefeitura

Publicado: 9 de agosto de 2000
0h 00

A busca de uma solução envolvendo o pagamento de IPTU referente a áreas arrendadas no Porto prosseguiu, ontem à tarde (09), em reunião realizada entre representantes do Sindicato dos Operadores Portuários do Estado de São Paulo (Sopesp) e da Administração Municipal. Foi analisada, na ocasião, a legislação municipal que colocou os operadores como co-responsáveis no pagamento do IPTU, que soma cerca de R$ 4 milhões e 600 mil, no exercício de 2.000, englobando 64 áreas arrendadas por 36 empresas. O encontro ocorreu na Secretaria de Economia e Finanças (Sefin). Um dos cenários que está em debate, e que também será analisado pelo Executivo, envolve a possibilidade de que as empresas arrendatárias venham a pagar tributos municipais diretamente à Prefeitura, ao invés de repassar os valores à Codesp, como ocorre com o ISS. Eles entendem que o IPTU também estaria embutido na taxa de infra-estrutura que já pagam à Codesp. A estatal vem recebendo o ISS das empresas, em torno de R$ 200 mil mensais, mas não vem repassando os valores à Prefeitura, assunto também analisado ontem. Essa proposta de pagamento direto à Prefeitura será submetida aos membros do Conselho de Autoridade Portuária (CAP), formado por representantes de quatro blocos - trabalhadores, usuários, Poder Público e operadores. Já para o vice-presidente do Sopesp, Henry James Robinson, existe todo um processo de mudança, com a privatização do Porto, que está sendo tratado com frieza e seriedade. O mesmo afirma o diretor- executivo José dos Santos Martins, que garantiu que todos buscam com o Poder Público uma grande parceria, uma vez que não enxergam a Prefeitura como cobradora de pedágio. A próxima reunião, no CAP, vai ocorrer no dia 22 deste mês, mas até lá vão acontecer novos encontros entre representantes do Sopesp e da Prefeitura.