Conteúdo
Notícias

Santos vive dia histórico com presença do príncipe japonês em inauguração de escultura

Publicado: 23 de junho de 2008
0h 00

Um dia para marcar a história da cidade e celebrar a relação afetiva entre santistas e japoneses. Assim foi este sábado (21), data em que Santos recebeu a visita do príncipe herdeiro japonês Naruhito. Ele participou da inauguração da escultura da artista plástica Tomie Ohtake, em homenagem ao Centenário da Imigração Japonesa. Promovida pela prefeitura, a cerimônia reuniu autoridades brasileiras e japonesas na plataforma do Emissário Submarino. A inauguração, com a presença do príncipe, registra o ponto alto das comemorações pelo centenário, encerrando um amplo cronograma de atividades iniciado há um ano. O prefeito João Paulo Tavares Papa destacou o momento de honra e emoção para o povo de Santos e a comunidade nipo-brasileira, ressaltando que a inauguração representa uma homenagem aos antepassados, personagens de uma saga heróica, mas também o anúncio de um futuro promissor, com o estreitamento ainda maior das relações entre Brasil e Japão, especialmente com a cidade de Santos – devido às responsabilidades diferenciadas que tem por abrigar o maior porto da América Latina – por onde, em 1908, chegaram os pioneiros da imigração japonesa. Santos foi a porta de entrada para milhares de imigrantes japoneses. Para nossa felicidade, muitos optaram por se estabelecer aqui, imprimindo suas marcas nas artes, esportes, pesca, educação e tecnologia. Aqui, esses imigrantes transformaram seus sonhos em realidade e trabalharam lado a lado com nosso povo, construindo a Santos que temos hoje. Esses 100 anos de convivência só trouxeram conquistas para ambos os povos, ressaltou o prefeito. Para ele, não existia forma mais carinhosa de celebrar este momento do que com uma escultura da consagrada Tomie Ohtake. ESCULTURA A obra de Tomie foi doada pela artista à prefeitura e idealizada especialmente para a ocasião. No total, tem cerca de 20 metros de comprimento, 15 de altura e dois de largura. Aproximadamente 80 toneladas de aço COS AR COR 500 – mais resistente à ação do tempo – foram fabricadas e doadas pela Cosipa/Usiminas. A confecção teve o patrocínio da empresa Gafisa. A escultura, de forma abstrata e vermelha, foi instalada na extremidade da plataforma do emissário, conforme escolha da própria artista, que indicou que a obra deveria apontar para o mar, de forma a ser vista tanto pelas pessoas que estão na orla de Santos, quanto de São Vicente, bem como dos passageiros dos navios. Tomie, 94 anos, é considerada uma das maiores artistas da atualidade. Imigrante, nasceu em Kyoto, no Japão, e chegou ao Brasil em 1936, desembarcando no porto de Santos. Participou ativamente de todo processo de criação da escultura, acompanhando, pessoalmente, inclusive, sua fabricação na indústria. Ao lado do príncipe Naruhito, e acompanhada por familiares, a artista definiu o momento como o de maior honra de sua vida. Emoção e honra. São estas duas palavras que traduzem melhor o que sinto hoje, por ter sido escolhida pela prefeitura para fazer esta obra. A artista explicou, ainda, que a exemplo de suas obras, a instalada em Santos também não recebeu um nome. Prefiro que a própria pessoa sinta e perceba a obra. De acordo com o prefeito Papa, que conversou particularmente com Naruhito sobre Tomie, o príncipe ficou muito bem impressionado com a história de vida da artista. Expliquei a ele que, aos 94 anos, Tomie estava vivendo uma emoção muito forte neste dia e que ela fez questão de escolher cada detalhe da escultura. O príncipe gostou muito. SATISFAÇÃO E não forem apenas as autoridades que ficaram satisfeitas com a mais nova obra de arte que integra as belezas santistas. Logo após a saída da comitiva do príncipe, o espaço onde está instalada a escultura foi aberto à visitação pública e centenas de pessoas tomaram conta da plataforma do emissário, confirmando a aprovação. Taiko Nishioka, 84 anos, moradora de Santos, era uma das mais animadas e foi uma das primeiras a prestigiar a obra. É simplesmente fantástica. Contou que veio do Japão para Santos com apenas sete anos de idade. Ela visitou a obra acompanhada por familiares e as amigas Nabuko, 78 anos, e Satiko, 84, que chegaram à cidade, com dois anos e oito meses, respectivamente, e estavam igualmente emocionadas, segurando bandeirinhas dos dois países. Teve gente que também viajou para viver a emoção de estar mais perto do príncipe Naruhito e conhecer a nova obra de Tomie, como é o caso de Sirlei Takeda, 62 anos, moradora de São Paulo, que desceu a serra especialmente para a ocasião. Para ela, que é filha de imigrantes japoneses, o sacrifício valeu a pena. Consegui ver de pertinho o príncipe e ele é muito simpático. Além disso, conheço o trabalho da Tomie e esta obra é surpreendentemente ainda mais linda. Da vizinha São Vicente, o técnico em segurança Luiz Antonio Rodrigues Ferreira manifestou seu apoio. De acordo com ele, a visita do príncipe aguçou ainda mais a curiosidade de visitar o espaço. A obra ficou muito bonita. Ela me lembra aqueles fitilhos ao vento usados nas festividades japonesas. E o melhor de tudo é ver que finalmente, depois de tantos anos de luta e oportunidades desperdiçadas, Santos terá aqui no emissário um parque à altura da cidade, que é tão bonita. AS ONDAS SANTOS 21 A escultura de Tomie integra o parque público ‘As Ondas Santos 21’, que a prefeitura está construindo no local. O espaço está sendo qualificado com obra de arte e muitas opções de lazer, como museu do surfe, pista de cooper, pista de ‘skate’, equipamentos de ginástica, ‘playground’, arquibancada para competições no quebra-mar e mesas de jogos. O projeto é do arquiteto Ruy Ohtake – filho da artista plástica, e prevê também em seus 43 mil metros quadrados amplas áreas verdes – ideal para contemplação e divertimento em todas as faixas etárias, além de ser importante incremento ao turismo. A VISITA O primeiro compromisso da visita oficial do príncipe Naruhito à cidade começou, pontualmente, às 10h40 e teve 30 minutos de duração, realizado na Associação Japonesa de Santos, onde a colônia japonesa recebeu o príncipe, com crianças tocando em flauta o hino japonês. No local, cerca de 100 convidados participaram da inauguração da reforma da sede, que passa a abrigar um centro cultural nipônico. O imóvel foi confiscado durante a Segunda Guerra Mundial pelo governo federal e devolvido à comunidade em 2006. Na saída, Naruhito recebeu o carinho de admiradores, que esperavam pelo príncipe com bandeirinhas do Japão e do Brasil – como foi em todos os lugares em que passou na cidade. Em seguida, o príncipe seguiu para a inauguração da escultura de Tomie Ohtake. Depois, passou de carro pelo monumento em homenagem aos imigrantes na orla da Praia do Boqueirão. No Estrela de Ouro FC, na Ponta da Praia, almoçou com autoridades e representantes da colônia japonesa. No cardápio, frutos do mar, sucos e frutas sortidas de sobremesa. Encerrando as atividades em Santos, o príncipe visitou o armazém 14 do Porto, onde desembarcaram as primeiras famílias vindas no navio ‘Kasato Maru’. Na ocasião, depositou lírios brancos no monumento 18 de Junho, que contém os nomes dos imigrantes pioneiros e foi confeccionado pela empresa VCP, do Grupo Votorantim. O príncipe herdeiro Naruhito tem 48 anos, é casado com a princesa Masako e pai da princesa Aiko, de seis anos. Ele é o filho mais velho do imperador Akihito. Naruhito já esteve no Brasil em 1982, em visita não-oficial. Em 1958, o príncipe Mikasa – tio-avô de Naruhito e tio do atual imperador Akihito – veio a Santos para celebrar o cinqüentenário da imigração.