Conteúdo

Santos realiza bloqueios contra o sarampo em salas de aula de quatro escolas

21 de agosto de 2019
17h 37

A Secretaria de Saúde de Santos realizou, nesta quarta (21), bloqueios vacinais contra o sarampo em quatro salas de aula de alunos com suspeitas da doença, com 150 doses aplicadas da tríplice viral (contra sarampo, caxumba e rubéola). Pela manhã, a ação contemplou alunos da Apae (Encruzilhada) e, à tarde, na escola municipal Martins Fontes (Penha), das classes da adolescente de 12 anos com caso suspeito.

Os bloqueios também foram realizados nesta quarta (21) à tarde na escola Dino Bueno (Encruzilhada) e na creche Arcanjo Rafael (Marapé), onde estudam respectivamente um adolescente de 11 anos e bebê de 8 meses com suspeitas da doença. Os familiares próximos dos casos já passaram pelos bloqueios e agora o Município aguarda o resultado das amostras enviadas ao Instituto Adolfo Lutz (IAL), laboratório de referência do governo estadual, para confirmar ou descartar a doença.

Quando há a confirmação, pode ser ampliado para o condomínio ou quadra onde o paciente mora, para toda escola ou universidade que estuda e a todos os colegas da mesma empresa, de acordo com o indicado pela investigação epidemiológica.

PROTOCOLO

Desde o início do mês de agosto, o Ministério da Saúde alterou o protocolo de bloqueio aos casos de sarampo no País, devido à escalada da doença.

Agora, já a partir dos casos suspeitos da doença, a vacinação é realizada, além dos familiares que residem com o paciente, também em pessoas que tiveram contato próximo. A medida tem ampliado o número de bloqueios e, somente nos últimos dez dias, foram 20 ações em salas de aula de escolas e universidades, setores de estabelecimentos e empresas onde moram, estudam ou trabalham pacientes com suspeitas de sarampo, com mais de 700 pessoas vacinadas.

“Temos agido com rapidez para realizar estes bloqueios vacinais o quanto antes após as notificações dos casos suspeitos. O trabalho integrado entre os setores da Saúde tem se intensificado para seguirmos os protocolos e ajudarmos a conter o avanço do sarampo”, explica a chefe do Departamento de Vigilância em Saúde (Devig), Ana Paula Valeiras, citando o trabalho conjunto entre os profissionais dos setores de Vigilância e da rede de Atenção Básica.

Atualmente, há 19 casos suspeitos entre residentes de Santos em investigação que aguardam resultados das amostras ao IAL. Desde o início do ano, foram confirmados cinco casos de sarampo entre residentes de Santos.

Feedback

Ajude-nos a tornar o Santos Portal melhor. Deixe um comentário, dúvida ou sugestão.