Conteúdo

Santos fiscaliza uso de máscaras no primeiro dia de obrigatoriedade

1 de maio de 2020
16h 20

No primeiro dia de vigência do decreto que torna obrigatório o uso de máscaras faciais não profissionais em espaços públicos e estabelecimentos comerciais de Santos, como mais uma forma de contenção do novo coronavírus, o que se viu foi ampla adesão à medida.

A constatação foi feita por guardas civis municipais e fiscais da Secretaria de Finanças (Sefin) em forças-tarefas realizadas nesta sexta-feira (1º) em diferentes regiões da Cidade, incluindo Orla, Zona Noroeste e Morros.

Desde o início da manhã, a ação fiscalizatória percorreu ruas e comércios e teve caráter de orientação sobre as novas regras de uso de máscaras em ruas, avenidas e praças, conforme está no Decreto 8.944, publicado dia 24 no Diário Oficial.

Pela nova norma, ainda se torna obrigatória a utilização nos transportes públicos e individuais e nos terrenos e edifícios onde funcionam serviços do Município.

Nos estabelecimentos comerciais – apenas aqueles autorizados a funcionar –, além de exigirem (podendo fornecer) o uso do acessório por funcionários e clientes, terão de afixar em local de fácil visualização o informe sobre a nova norma.

O munícipe que descumprir o decreto estará sujeito ao pagamento de multa no valor de R$ 100, no caso de pessoa física, e de R$ 3.000, no caso de pessoa jurídica. Os valores das multas serão aplicados em dobro no caso de reincidência.

 

Abordagens

Durante as forças-tarefas, guardas abordaram pessoas que não estavam utilizando máscara para explicar a nova medida. Para quem não estava ou não possuía máscara, os profissionais forneceram gratuitamente uma unidade descartável.

Simone Salati, 52 anos, funcionária pública moradora da Capital, veio a Santos resolver pendências do imóvel que possui no bairro José Menino. Não sabia da nova lei, mas notou todos usando máscaras nas ruas e procurou um guarda para se informar. "É válida a medida adotada aqui. Entendo que todos precisamos fazer sua parte para melhorar essa questão tão séria".

A advogada Silvana Losada, 57 anos, leva diariamente seu animal de estimação para passeios rápidos na orla da praia e notou um aumento de pessoas com máscaras no dia de hoje. "Na semana passada, via a grande maioria das pessoas sem máscara. Hoje vi poucas pessoas sem. Acho que o fato de mexer no bolso realmente foi fundamental na adesão".

Em uma padaria localizada na Rua Minas Gerais, no Boqueirão, clientes sem máscaras foram impedidos de ingressar no estabelecimento. De acordo com o gerente, Roberto Covre, o comércio não vai abrir exceções à flexibilização do decreto. "A partir de hoje, todos que entrarem precisam estar de máscaras, higienizar as mãos e manter a distância. Os clientes barrados entenderam nosso posicionamento. Muita gente está pedindo para abrir o comércio, voltar vida normal, mas para isso, todos precisam seguir as medidas".

 

Conscientização

O secretário municipal de segurança, Sérgio Del Bel, entende como essencial a conscientização das pessoas. "É muito importante que as pessoas se conscientizem que essa medida pode salvar vidas, evitando a contaminação de si mesmo e de pessoas próximas".

Galeria de Imagens

#pracegover Mascarados, policial militar e guarda municipal conversam com motocilicta que está sem máscara ao lado da moto em via pública
Com apoio da Polícia Militar, Guarda Municipal prestou orientações no primeiro dia de obrigatoriedade
#pracegover Na ciclovia da orla, dois guarda municipais mascarados abordam mulher e homem também mascarados sobre bicicletas
Guardas municipais relatam adesão da população às máscaras
#pracegover Com máscaras, dois fiscais da prefeitura entregam panfleto explicativo a homem com máscara
Fiscais da Secretaria de Finanças também orientaram sobre a obrigatoriedade do uso de máscaras