Conteúdo

Projeto para a área central de Santos prevê revitalização e desenvolvimento

9 de julho de 2019
18h 54

A versão preliminar de um projeto arquitetônico de revitalização de pontos estratégicos de Santos foi apresentada a um grupo de comerciantes do Centro, autoridades e sociedade civil, na tarde de quinta-feira (3), no Paço Municipal.  

A apresentação foi conduzida por arquitetos do escritório Jaime Lerner, de Curitiba, contratados pelo Comunitas, uma organização de empresários que financia acordos de cooperação técnica para municípios. O projeto não gerou custo para a Prefeitura.

A revitalização arquitetônica é pensada como forma de promover o desenvolvimento, fomentar a economia criativa, incentivar o turismo e fortalecer o senso afetivo dos santistas com a região.

Este foi o primeiro encontro com a equipe técnica do escritório, responsável por desenvolver projetos urbanísticos em importantes cidades do País, entre elas Curitiba e Porto Alegre. Até novembro, outros encontros serão realizados para ouvir as considerações e sugestões da população sobre as propostas apresentadas.

Antes da reunião desta quinta (4), o grupo realizou levantamento sobre leis, instrumentos e programas que já estão em curso, com objetivo de entender a realidade da Cidade.

A PROPOSTA

Nos cerca de 160 slides apresentados, foi possível conhecer três pontos trabalhados: a região do Porto, do Monte Serrat e da bacia do Mercado Municipal. Também foi apresentada proposta de ligações entre esses espaços, incluindo a região do futuro Parque Tecnológico.

Na região portuária do Valongo, a proposta consiste na criação de uma praça elevada à altura de 7 metros e que conecta o Centro Histórico ao mar. A ideia ainda apresenta a possibilidade de alocar um navio de cargas desativado, atuando com uma vocação cultural para eventos. Ainda na área portuária, os profissionais sugeriram integrar o Terminal de Passageiros a este novo espaço de lazer.

Quanto ao Monte Serrat, o intuito seria incentivar a vocação de “mirante”, atraindo turistas e moradores com atrativos culturais e economia criativa. Trabalhar com desenhos urbanos nas escadarias e criar ações para convidar a população a conhecer o local foram sugeridos.

“Este será um processo de construção coletiva e participação. São várias ideias apresentadas, algumas poderão ser consolidadas, algumas aprimoradas e outras até descartadas. Precisamos da voz da população para construir esse processo de diálogo que se inicia hoje”, explicou Glaucus Farinello, secretário-adjunto de Desenvolvimento Urbano (Sedurb).

Empresário da região central, Rildo Santos fez sua contribuição aos técnicos. “O que vocês nos apresentaram é maravilhoso, mas seria interessante que incluíssem o Marco Zero, que é a Praça Mauá, à nova praça Valongo”. O arquiteto Felipe Guerra aprovou a iniciativa. “Precisamos ouvir os santistas, a gente enxerga muitos potenciais e queremos desenvolver o melhor projeto para a Cidade”.

A arquiteta Ariadne Daher ressaltou a viabilidade de execução das propostas. “Aqui em Santos, a gente enxerga potenciais muito fortes para uma renovação urbana, existe uma riqueza arquitetônica e de paisagens extraordinárias, isso precisa ser reaproximado à rotina dos santistas. Este não é um projeto faraônico, tudo o que foi apresentado é plenamente viável”.

NOVAS ETAPAS

Dentro do contrato estabelecido com o Comunitas, além de projeto para a área central, o grupo ainda apresentará propostas para a área habitacional e expansão do Município para a Área Continental.

  

 

Galeria de Imagens

Apresentação de projeto no paço municipal. Público está sentado atendo às explicações feitas por um homem. #Pracegover
Público durante apresentação no Salão Nobre da Prefeitura - Foto: Raimundo Rosa
Público sentado em cadeiras no salão nobre atento à apresentação feita por duas pessoas. Há uma imagem projetada em um telão. #Pracegover
Público acompanha apresentação do projeto - Foto: Raimundo Rosa

Feedback

Ajude-nos a tornar o Santos Portal melhor. Deixe um comentário, dúvida ou sugestão.