Conteúdo

Programa de integração acadêmica é iniciado com uma radiografia da sms

19 de julho de 2001
0h 00

Uma grande parte dos 80 universitários estagiários que atuam na Secretaria de Saúde com recebimento de bolsa auxílio e dezenas de outros voluntários na Saúde, participaram, ontem, do primeiro encontro do Programa de Integração Acadêmica, realizado no auditório da Faculdade de Serviço Social da UniSantos. O programa da SMS visa ampliar as áreas de atuação dos estagiários, proporcionar capacitação e atualização dos profissionais da rede, além de incentivar o intercâmbio de pesquisas com as universidades. Na reunião, foi apresentado, em data-show, os principais programas e serviços da SMS, dados e números de atendimentos, que demonstraram o crescimento da demanda. Em número de consultas, foram 170 mil só até abril deste ano; mais de 580 consultas diárias no PS Central (contra 360 na média do ano passado); 2.810 pessoas transportadas/mês, contra l.940/mês no ano passado, e outros desafios, entre os quais a invasão de usuários de outros municípios, inclusive na disputa de medicamentos. No ano passado, distribuíam-se 33 mil comprimidos/mês de Captopril (para hipertensão). Hoje são l74 mil mês, em parte resultado da campanha para detectar novos hipertensos e diabéticos realizada em março. Outro dado interessante: 5l% dos partos realizados na Maternidade Silvério Fontes são de parturientes de fora, sobretudo de São Vicente. Outros desafios: melhorar os índices de Saúde da área central, humanizar o atendimento em toda a rede, introduzir o protocolo do SUS, e completar a informatização das unidades, num processo de modernização que passa também por um trabalho de maior integração de todos os programas existentes, com ênfase à saúde preventiva. O Programa da Saúde da Família (PSF) terá oito equipes já atuando em agosto. PSF, A GRANDE PROPOSTA Quatro das oito equipes do Programa de Saúde da Família estão sendo empossadas hoje (20) e já estarão atuando na área Central da Cidade no início de agosto. Outras quatro também começam em agosto na Zona Noroeste. Em seguida serão contratadas mais seis equipes multiprofissionais, totalizando 15 equipes atuando na Cidade neste ano, cada qual atendendo de 3 a 4 mil pessoas. Ou seja, até o final do ano, 60 mil pessoas das camadas menos favorecidas estarão sendo atendidas em casa, com médico, dentista, enfermeira, agentes de saúde e outros profissionais especializados.

Feedback

Ajude-nos a tornar o Santos Portal melhor. Deixe um comentário, dúvida ou sugestão.