Conteúdo

Primeira escola pública de surfe adaptado do mundo está com inscrições abertas

24 de novembro de 2019
14h 21

A Escola Pública de Surfe Adaptado (Posto 3, Gonzaga), a primeira do mundo, abriu inscrições para mais 80 vagas nesta segunda-feira (25). O equipamento começará a funcionar em janeiro, com aulas para pessoas com qualquer tipo de deficiência e de todas as idades. Interessados podem ligar para 3251-9838 e obter mais informações. 

A novidade foi divulgada neste domingo (24) durante a visita técnica dos participantes da Conferência Internacional da Rede World Surf Cities (World Surf Cities Network – WSCN) às instalações da nova escola, cujas obras de adequação estão em fase de acabamento.

“Quero mostrar ao mundo que é possível fazer coisas boas com parcerias públicas privadas, poucos recursos e em espaços que aparentemente estão ociosos. Todos estão encantados com o projeto e eu, vivendo um sonho”, disse o idealizador e coordenador da Escola Radical de Surfe, Cisco Araña, que prevê atendimento para 240 alunos com deficiência em 2020.

A área da escola será de 215,35m², com salas das pranchas, funcional, de reunião, dos professores, dois vestiários e recepção dos alunos. Os sanitários continuarão do lado externo, haverá rampa de acessibilidade nos fundos do prédio, em frente ao calçadão próximo à faixa de areia, e portas adaptadas com 90 cm de largura, conforme a norma brasileira de acessibilidade.

Uma das visitantes foi Celia Fernandes, vereadora de Mafra (Portugal), que demonstrou bastante interesse na nova proposta de trabalho da Prefeitura com o surfe adaptado. “Na praia de Ericeira, temos uma reserva mundial de surfe, onde também desenvolvemos um trabalho com deficientes. E este espaço para nós é mais um exemplo de como se faz a inclusão numa praia, para permitir que todos possam usufruir das ondas”.

EVENTO

A conferência internacional termina neste domingo, com a reunião de 40 pessoas de 11 nações, representando 12 cidades: Espanha (Salinas), País Basco (Donostia/San Sebastian), Equador (Montañita), Chile (Viña Del Mar e Arica), Portugal (Ericeira e Viana de Castelo), Nova Zelândia (New Plymouth), França (Lacanau), África do Sul (Durban), Peru (Huanchaco) e Ilhas Canárias (Las Palmas - território da Espanha).

A organização WSCN tem como objetivo aumentar a atividade econômica local (negócios, turismo, emprego e programas sociais) pela cooperação entre as cidades de surfe ao redor do mundo. O primeiro encontro da WSCN em Santos foi realizado em 2014.

Fotos: Anderson Bianchi

Galeria de Imagens

visitantes na escola de surfe adaptado #pracegover
uma das salas da escola com materiais para exercício #pracegover

Feedback

Ajude-nos a tornar o Santos Portal melhor. Deixe um comentário, dúvida ou sugestão.