Conteúdo
Notícias

Prestigiado no Brasil e exterior, santista volta à cidade-natal para expor sua arte

Publicado: 20 de outubro de 2021 - 17h56

O artista visual Fábio Sampaio nasceu em Santos e, com sua arte, conquistou público no Brasil e no exterior. Vivendo há mais de 30 anos em Aracaju, no Sergipe, ele voltou à sua cidade natal no mês de outubro para expor seu novo trabalho, de colagens em série, que fazem parte do projeto ""SerigyOrNotSerigy", que já esteve em outras oito cidades brasileiras.

Fábio, que já expôs seus trabalhos em cidades como Nova Iorque e Paris e em bienais como as de Florença, na Itália, e na Bélgica. Agora, nesse projeto ele apresenta o indigena como elemento central de colagens expandidas em desenhos/pinturas, envolvendo questões de pertencimento, tradição e contemporaneidade.

“A imagem desse índio é a mesma impressa numa embalagem de cimento. Me apropriei dessa figura e fui mudando o cabelo dela. É um índio que representa a questão do mestiço brasileiro”, comenta o artista, que busca, por meio de uma visibilidade simbólica de deslocamentos, a relação do Brasil com o seu redor.

JOSÉ MENINO

O local escolhido não foi à toa, foi no bairro onde passou sua infância, o José Menino, na esquina das ruas Guilherme Álvaro e Alfredo Ximenes. "Calhou de eu encontrar esse lugar, que ainda tem uma câmera de monitoramento (da Prefeitura) bem em frente. Essa parede estava me aguardando para eu poder fazer a colagem", diz Sampaio, relatando que a ideia foi prontamente acatada pelo proprietário do restaurante, responsável pelo local da obra.

Na capital sergipana, a obra foi realizada em painel de azulejos, com dimensão de cinco por oito metros, em uma biblioteca pública do Município.
Com 20 anos de carreira, Sampaio atua também em uma galeria de artes paulistana e se mostra confiante na retomada de produções e exposições, que haviam sido interrompidas no início da pandemia de covid-19.

SERIGYORNOTSERIGY

O projeto desenvolvido pelo artista é intitulado “SerigyOrNotSerigy” em referência a Serigy, líder indígena que viveu no século 16 na região de Sergipe, lutando contra a colonização portuguesa. A série foi originalmente criada, em 2019, em comemoração ao bicentenário de Sergipe, estado para onde Fábio migrou de São Paulo na década de 1990.

UM POUCO DO ARTISTA

Fábio Sampaio, paulista, vive e trabalha atualmente em Aracaju. Foram publicados dois livros sobre sua obra, “Self Dreams” (2014) e “(Re) Invenção da Paisagem Doméstica” (2017), ambos organizados por Mário Britto.

Em 2021, integrou a Galeria de Arte Lusófona da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) no reino da Bélgica. Expôs na Bienal de Arte Contemporânea de Florença, Itália, na Galeria Marcantônio Vilaça, com (Ser)Tão

Eu, em Bruxelas, Bélgica, e em São Paulo, Brasil, na Galeria Recorte, com a exposição “Domingo”.

Em 2018 e 2019, desenvolveu trabalho no Instituto de Residências Artísticas Espírito Mundo, situado em Bruxelas, Bélgica. Citado pelo crítico de arte Paulo Klein  no Livro “Brasil Art Show 2008".

Também realizou exposição individual "Boa romaria faz, quem em sua casa está em paz" para reinauguração do Centro Histórico da Faculdade Mackenzie, em São Paulo.

Galeria de Imagens

Artista ao lado de VLT e colagens ao fundo #paratodosverem
Artista com livro e colagens ao fundo #paratodosverem
Página de um livro com ele pequeno em cima de estátua #paratodosverem