Conteúdo

Prédio principal da UPA Zona Leste está em fase final de alvenaria

20 de fevereiro de 2019
18h 46
Funcionário da construção está sobre uma laje olhando para a frente com uma visão panorâmica da obra. #Pracegover

A construção da terceira Unidade de Pronto Atendimento da Cidade – a UPA da Zona Leste (Praça Visconde de Ouro Preto s/nº) – está na fase final da alvenaria do prédio principal, com cerca de 30 pessoas fazendo o contrapiso, os rebocos e chapiscos. Nos próximos dias, começa a impermeabilização da laje e, em meados de março, a instalação da infraestrutura elétrica e hidráulica, seguida da aplicação do revestimento cerâmico e dos acabamentos. Enquanto a obra segue, os pacientes são atendidos provisoriamente na Avenida Afonso Pena, 386.

O primeiro anexo, de apoio aos funcionários, está erguido e logo será concretado; já o segundo, para o pronto atendimento, começará a ser construído na semana que vem. O investimento na construção é de R$ 8,8 milhões, sendo R$ 4 milhões do Ministério da Saúde e o restante oriundo de medida de compensação (TRIMMC), assinada pela Prefeitura e a operadora portuária Ageo, com a qual foi estabelecido novo cronograma que prevê a entrega da obra civil em outubro, e o funcionamento no início de 2020.

Na manhã desta quarta-feira (20), o prefeito Paulo Alexandre Barbosa acompanhou os trabalhos. “A obra está em ritmo acelerado; no final do ano, ficará pronta e, no início do próximo ano, entregaremos mais uma UPA que salvará muitas vidas e cuidará da saúde das pessoas”, comentou.

DIFERENCIAIS

Três vezes maior do que o antigo pronto-socorro que funcionava no local, o novo equipamento terá mais de três mil metros quadrados de área construída, tendo o atendimento emergencial separado do clínico. No novo edifício – o principal – foi construído subsolo para estacionamento com 25 vagas, térreo e pavimento superior.

Segundo o arquiteto Ronald Santos, da Secretaria de Infraestrutura e Edificações, o diferencial do projeto é a sustentabilidade, com reúso da água, que já vem sendo incorporado nos equipamentos novos do Município, e a iluminação natural, contemplada em todas as fachadas do edifício pelos grandes vãos. “Ainda em obra, já percebemos um prédio claro; quando estiver pronto, com as paredes pintadas de branco, isso ficará mais evidente”, explica ele, também responsável pela fiscalização da obra.

No piso superior, haverá claraboias sobre as salas de observação, reduzindo para mínimo o uso de luz artificial neste andar durante o dia. A ventilação natural também é outro destaque do projeto da Prefeitura, apesar da climatização ser prevista em todo equipamento. “Nos meses mais frios, em função dessas características de grandes aberturas no edifício, não haverá necessidade de ligar os aparelhos de ar-condicionado”, explica o arquiteto.

As palmeiras imperiais que fazem parte do terreno serão transplantadas para a praça localizada do outro lado da Av. Afonso Pena, garantindo mais sombreamento aos frequentadores do local.

INFRAESTRUTURA

O equipamento contará com uma base do Samu, que ajudará a reduzir o tempo de resposta nos atendimentos, e apoio da Guarda Civil Municipal, que estará neste mesmo complexo. “Santos, com 440 mil habitantes, tem recomendação do Ministério da Saúde para oferecer duas UPAs e nós estamos caminhando para terceira”, salienta o secretário de Saúde Ferraz.

A UPA Zona Leste oferecerá cerca de 30 leitos, sendo 4 de emergência e 2 de observação pediátrica; 5 consultórios, 3 para clínica geral, ortopedia e pediatria. A sala de espera será para 54 lugares e terá área para brinquedoteca. Haverá salas para coleta de exames, curativos, sutura, inalação, gesso, eletrocardiograma, ortopedia, laboratório, hidratação e distribuição de medicamentos.

E mais: salas de raio-X e emergência, com área para desembarque de ambulância, dois elevadores e 60 vagas para estacionamento de bicicletas.

 

Foto: Isabela Carrari