Conteúdo

Policlínicas de Santos distribuirão máscaras a pacientes em atendimento

26 de abril de 2020
22h 03

Uso de máscaras será obrigatório

Duzentas mil máscaras, compradas pelo Fundo Social de Solidariedade de Santos de confecções que funcionam na Cidade, protegerão os munícipes contra a covid-19 a partir desta terça-feira (28). A Prefeitura inicia a entrega desses materiais, feitos em tecido TNT, aos munícipes que forem atendidos nas policlínicas, em especial as pessoas com mais vulnerabilidade social e que não estiverem protegidas com máscaras.

Neste primeiro lote, o Fundo Social de Solidariedade encaminhará 50 mil unidades nesta segunda-feira às policlínicas da Cidade. Cada policlínica receberá de 1.000 a 2.000 máscaras (de acordo com a quantidade de atendimentos realizada) e será reabastecida de acordo com a necessidade. “O uso de máscaras visa garantir a segurança das pessoas, pois diminui o risco de transmissão do vírus”, destaca o prefeito Paulo Alexandre Barbosa.

Uso de máscaras será obrigatório a partir de 1º de maio

O uso de máscaras faciais não profissionais em espaços públicos e estabelecimentos comerciais de Santos será obrigatório a partir de 1º de maio como mais uma forma de contenção do novo coronavírus. As multas por descumprimento foram estabelecidas em R$ 100 para pessoa física e R$ 3 mil para empresas, com valores dobrados em caso de reincidência. O valor recolhido será usado na compra e distribuição do acessório de proteção para pessoas em situação de vulnerabilidade.

A medida vale para ruas, avenidas e praças, conforme está no Decreto 8.944, publicado nesta sexta-feira (24) no Diário Oficial, determinando também a obrigatoriedade da máscara nos transportes públicos e individuais e nos terrenos e edifícios onde funcionam serviços do Município.

Já os estabelecimentos comerciais – apenas aqueles autorizados a funcionar –, além de exigirem (podendo fornecer) o uso do acessório por funcionários e clientes, terão de afixar em local de fácil visualização o informe sobre a nova obrigatoriedade.

O decreto também estabelece que as empresas contratadas pela Prefeitura para execução de obras e serviços deverão zelar pela segurança dos funcionários, reforçando a limpeza das áreas de trabalho e disponibilizando máscaras, álcool em gel e luvas.

Outra regra será a observação da distância de dois metros entre cada trabalhador. A fiscalização das medidas ficará a cargo da Secretaria de Finanças (Sefin) no caso das atividades empresariais e da Guarda Civil Municipal nas demais situações. Denúncias poderão ser feitas pelo telefone 153 ou pela Ouvidoria Digital.

Veja também: 

Ocupação de leitos deverá ser notificada diariamente por hospitais particulares e públicos

 

Feedback

Ajude-nos a tornar o Santos Portal melhor. Deixe um comentário, dúvida ou sugestão.