Conteúdo

Organização apresenta projetos de desenvolvimento sustentável para Santos

8 de dezembro de 2019
16h 20

Com foco na prosperidade da Região Central, no progresso sustentável da Área Continental e no desenvolvimento habitacional da Cidade, foi apresentado nesta sexta-feira (6) um projeto urbanístico integrado à Agenda Santos 500, elaborado por meio de uma parceria entre a Prefeitura e a organização empresarial Comunitas, que financia acordos de cooperação técnica para municípios, sem custos ao poder público.

Em reunião comandada pelo prefeito Paulo Alexandre Barbosa, com participação de representantes do comércio, do empresariado e do Legislativo Municipal, profissionais do escritório paranaense de arquitetura Jaime Lerner – consultoria contratada pela Comunitas – apresentaram em vídeo as propostas de revitalização de pontos estratégicos da Cidade como Monte Serrat, Mercado Municipal e rodoviária. Também foram expostas ideias para o Valongo, a região portuária e as habitações em áreas de mangue.

Os arquitetos Ariadne Daher e Felipe Guerra (ambos da Jaime Lerner) abordaram, além dos detalhes arquitetônicos do projeto, questões relacionadas a turismo, economia criativa, laços afetivos da população e condições dignas de moradia. Todos esses temas devem, a partir de agora, ser discutidos por setores diversos da sociedade santista.

Com experiência em planos já desenvolvidos em capitais como Rio de Janeiro, Porto Alegre e Recife, Ariadne cita as características que considera marcantes de Santos. “A praça d'água na frente do Mercado Municipal, na bacia das catraias, é de uma beleza cênica muito bacana e um elemento de identidade. Há também a possibilidade da criação de uma nova orla no Valongo”.

 

Cidade já investe em áreas estratégicas e cumpre metas para parceria

 

Para o prefeito, as propostas apresentadas na reunião vão ao encontro de políticas já adotadas pela atual gestão, como o plano de desenvolvimento da Região Central, recentemente contemplado com o programa Novo Centro Velho, que prevê incentivos fiscais e obras orçadas em R$ 44 milhões para esta parte da Cidade.

Ele também comentou sobre as possibilidades de expansão de atividades turísticas e comerciais fora da Área Insular. “A expansão portuária do Brasil está na Área Continental de Santos, sempre considerando a questão ambiental, que deve ser dialogada”.

Quanto à Agenda Santos 500, referência ao quinto centenário do Município que será completado em 2036, Barbosa ressalta se tratar de uma proposta que deve ser abraçada por todos. “Não é uma agenda do prefeito, nem deste governo e tampouco da Prefeitura. É da Cidade, que deve se apropriar dessa ideia”.

 

PARCERIA

Para o diretor da Comunitas, Washington Bonfim, Santos é uma cidade “extremamente importante” para a organização por conta do sucesso em projetos desenvolvidos em parcerias desde 2014 como o Mãe Santista e o programa de Participação Direta nos Resultados (PDR), que se tornou um modelo de gestão para outros municípios. Segundo ele, Santos tem cumprido as metas e garantindo bons resultados em questões como equilíbrio fiscal, gestão e planejamento urbano.

Galeria de Imagens

Reunião com várias sentadas em mesas que foram uma leta U. Pracegover