Conteúdo

'O Estivadores é de todos' é lançado em fórum de entidades de bairros da Cidade

18 de junho de 2016
13h 44

Para sensibilizar o Governo Federal da importância de sua contribuição no custeio de 50% do Complexo Hospitalar dos Estivadores, em fase final de implementação pela prefeitura com apoio do Governo do Estado, o Conselho Municipal de Saúde de Santos (CMSS) lançou na manhã deste sábado (18) o movimento ‘O Estivadores é de Todos'. A iniciativa foi anunciada durante o 2º Fórum Municipal das Entidades de Bairros de Santos, promovido pelo Conselho Municipal de Entidades de Bairros (Comeb), na Unimonte. Participaram do evento 40 entidades de bairros.

O objetivo é unir moradores da região, lideranças comunitárias, gestores públicos, políticos e entidades em busca dos recursos para garantir o funcionamento do hospital metropolitano. O equipamento terá ao todo 223 leitos integrados ao Sistema Único de Saúde (SUS) e será inaugurado parcialmente no segundo semestre com 88 leitos, conforme cronograma da Secretaria Municipal de Saúde (SMS). Somente nesta primeira fase, é estimado um custeio mensal de R$ 4,5 milhões. Quando todos os leitos operarem, o custo mensal subirá para R$ 10 milhões/mês.

“A viabilização do Estivadores é uma luta defendida há anos pelo Conselho Municipal de Saúde. O movimento é de suma importância não apenas para Santos, mas toda a região. Por isso, vamos procurar também secretários e prefeitos de outros municípios para somar esforços ”, declarou o presidente do CMSS, Luis Antonio da Silva. No lançamento, também teve início abaixo- assinado que será enviado ao Ministério da Saúde.

Cerca de 100 pessoas assinaram o documento, entre presidentes de sociedades de melhoramentos, associações e entidades de bairros. Posteriormente, o abaixo- assinado também estará acessível à população pela internet.

Mobilização

O prefeito Paulo Alexandre Barbosa destacou que as sociedades de melhoramentos são a base da cidade. “A mobilização de vocês é fundamental na luta pelo custeio do Estivadores”.

Ele afirmou que foram gastos R$ 46 milhões para a reconstrução do hospital, sendo R$ 25 milhões do Estado e o restante com recursos próprios. Ressaltou que o governador Geraldo Alckmin garantiu metade do valor mensal de custeio, cabendo agora ao governo federal a outra metade. “Em época de crise as pessoas cortam o plano de saúde e usam mais o SUS. Nos primeiros cinco meses deste ano a distribuição de medicamentos nas unidades de saúde aumentou 15% comparado ao ano passado. Sem contar que 40% dos nossos atendimentos são para cidades vizinhas e precisamos acolher a todos. Daí a importância do Estivadores, que é metropolitano”.

 

Entidades apresentam propostas

A programação do Fórum incluiu, pela manhã, palestras sobre Zeladoria, realizada pelo secretário de Serviços Públicos, Carlos Russo; Assuntos Relacionados à Câmara, pelo presidente da Câmara de Santos, Manoel Constantino, e Orçamento Participativo, pelo ouvidor municipal Flávio Jordão. Os trabalhos foram conduzidos pelo presidente do Comeb, José Carlos de Almeida, o Kaculé.

À tarde, os presidentes de sociedades de melhoramentos, associações e centros comunitários se reuniram para discutir e elaborar propostas para entregar à prefeitura.

A presidente do Centro Comunitário do Castelo Branco, do bairro Aparecida, Purcina Maruso Fernandes, 75, disse que a prioridade é iluminação, para ajudar na segurança. “Gostei das palestras porque com informação e orientação melhoramos nosso relacionamento com a comunidade”.

Já o presidente da Sociedade de Melhoramentos de Monte Cabrão, Salomão Euzébio Duarte, 69, frisou que a questão fundiária, a criação de um conjunto poliesportivo e a integração dos ônibus municipais e intermunicipais são as principais reivindicações.

Foto: Raimundo Rosa

Feedback

Ajude-nos a tornar o Santos Portal melhor. Deixe um comentário, dúvida ou sugestão.

Conteudo do Portal de Ouvidoria

Para ver todas as novidades sobre "Assistência" visite o Portal Ouvidoria