Conteúdo

Núcleo de Educação para a Paz completa um ano de atuação em Santos

5 de julho de 2019
18h 25

O Núcleo de Educação para a Paz (NEP), da Secretaria de Educação (Seduc), completa nesta sexta-feira (5), um ano de funcionamento. No espaço, que faz parte do programa municipal de Justiça Restaurativa, já foram realizados 71 encontros, entre círculos restaurativos e reuniões, e quase mil pessoas passaram pelo local.

Atualmente, o programa está presente nas 83 escolas municipais e, apenas no primeiro semestre deste ano, realizou 218 círculos de construção de paz, dentre eles o de resolução de conflitos. Santos é uma das cidades brasileiras referência na implantação de Justiça Restaurativa nas escolas.

Para a secretária de Educação, Cristina Barletta, a educação é transformadora e, por meio dela, é possível realizar trabalhos como o da Justiça Restaurativa. “Temos o dever de criar espaços em que nossos alunos, funcionários, professores e todos os que atendemos se sintam bem e possam ter oportunidade de serem ouvidos com atenção”.

“Este é um espaço acolhedor e seguro, destinado ao diálogo, à escuta atenta e qualificada, à contação de histórias reais de cada um, à prevenção e resolução de conflitos, entre outras ações que contribuem para a divulgação e promoção da cultura da paz. Foi um grande sonho que realizamos. Ter este núcleo era o nosso ideal desde que iniciamos o programa em 2014”, disse a coordenadora operacional da iniciativa, Liliane Claro de Rezende.

O NEP foi viabilizado graças a um convênio firmado entre a empresa VLI (Valor da Logística Integrada) e Prefeitura. “Conseguimos perceber uma grande mudança no comportamento e na visão de profissionais e alunos. Este é um processo de construção de ambientes de paz e que é feito com a colaboração de todos”, afirmou a coordenadora.

A professora da escola municipal Padre Waldemar Valle Martins, Flávia Costa, é facilitadora do programa na unidade. “A Justiça Restaurativa é uma filosofia de vida que nos apoia na prevenção da violência, por meio do diálogo restaurativo. Os alunos passam a conhecer uma nova forma de tomar atitudes, tendo a empatia como peça fundamental. O processo envolve ainda a comunidade e toda a equipe do âmbito escolar. E esse é o caminho para uma sociedade mais saudável e menos violenta”, afirmou.

Ela também é pesquisadora acadêmica sobre o assunto e está desenvolvendo o mesmo tema para o mestrado. “A equipe gestora da escola acredita muito neste trabalho e já fez um balanço, mostrando os resultados positivos da Justiça Restaurativa. As intercorrências diminuíram e o ambiente se tornou mais pacífico. Pais e alunos já pedem reuniões em formato de círculos restaurativos e este processo é realizado também com funcionários, criando um clima de união e respeito. Os profissionais reconhecem que estão todos na mesma direção”.

OUTROS NÚCLEOS

Na semana passada, foi inaugurado o Núcleo de Educação para a Paz na unidade Avelino da Paz Vieira. Em breve, as unidades Antônio Demóstenes Brito e Edmea Ladevig também serão beneficiadas. Os projetos, feitos pelo arquiteto Alessandro Lopes, foram viabilizados por meio da parceria com o Rotary Club Santos Boqueirão. No próximo dia 11, a Câmara Municipal também ganhará um núcleo da Justiça Restaurativa.

Feedback

Ajude-nos a tornar o Santos Portal melhor. Deixe um comentário, dúvida ou sugestão.