Conteúdo
Notícias

Novos projetos movimentam economia da cidade e geram empregos

Publicado: 25 de julho de 2000
0h 00

Novos empreendimentos estão gerando 3.800 empregos na área da construção civil em Santos. Isto porque, neste primeiro semestre, foi aprovada a construção de 360 mil m² de edificações na Cidade pela Diretoria de Planejamento (Diplan), da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Ambiental (Sedurbam). O investimento gira em torno de R$ 216 milhões. Neste primeiro momento, as vagas são para o pessoal que constrói. Depois da edificação pronta, ela precisará de funcionários. É o caso do novo ´atacadão´, rede distribuidora de alimentos, erguido na Zona Noroeste. De acordo com o Departamento de Marketing da empresa, foram contratados 250 funcionários. Durante a obra, houve a geração de 600 vagas (diretas e indiretas). Só de área de venda, o prédio possui 6.500 m². Temos 3.600 funcionários e 15 lojas no Brasil. Escolhemos Santos porque estamos atentos a todas as oportunidades de mercado, justificou o responsável pelo departamento, José Roberto Giuliani. Se uma nova rede de atacado contribuirá para a economia da Cidade, nem se conta um Centro de Convenções. Que dirá dois. Pois Santos vai ganhar dois destes empreendimentos, impulsionando o turismo de negócios: um na antiga Hospedaria dos Imigrantes e outra, na área de antiga Sorocabana. O empresário deste último, Armênio Mendes, revelou que haverá 1.500 novos empregos diretos, contando também com trabalhadores do hipermercado projetado para o mesmo local. Isso sem contar os indiretos. Claro, uma grande convenção movimentará os setores hoteleiro e do comércio, tanto restaurantes quanto lojas. Ainda não temos uma estimativa, mas acreditamos gerar entre 4 e 5 mil vagas, comentou. Perguntado sobre a importância de investir no Município, Mendes avançou: Santos está buscando sua vocação. A Cidade sempre viveu do Porto. Agora, com o turismo, vai superar o número de empregos gerados pelo Porto e até pelas indústrias de Cubatão. Já existem outros empresários de olho no público que os Centros de Convenções atrairão. A diretoria de Planejamento da Prefeitura, comentou que alguns projetos foram trocados para ´flats´ e hotéis, justamente por causa da visão de novos caminhos. Aprovação Todos estes projetos têm algo em comum: só foram tocados à frente depois de receberem o aval da Diplan. Desde o começo da Administração, foi aprovada a construção de 1 milhão de m². O novo Plano Diretor ajudou a impulsionar o mercado da construção. Como foi liberado o número de pavimentos que um prédio pode ter, já houve a aprovação de 16 edifícios com mais de 14 pavimentos, a maioria, residencial.