Conteúdo

No Dia do Desafio, agentes de combate à dengue unem exercícios a vistoria de imóveis em Santos

29 de maio de 2019
17h 52

Agentes comunitários de saúde e de combate a endemias de Santos, antes de saírem a campo pelos bairros José Menino e Pompeia para mais um mutirão de combate ao Aedes aegypti, praticaram 15 minutos de exercícios físicos na Praça do Surfista, nesta quarta-feira (29), que foram contabilizados para o Dia do Desafio. A atividade serviu para fortalecer o corpo, já que, ao longo do dia, os 106 profissionais tiveram o desafio maior de percorrer 1994 imóveis e eliminar 53 focos do mosquito transmissor da dengue, zika vírus, chikungunya e febre amarela urbana.

Neste ano, a Secretaria de Saúde já realizou 12 mutirões na Vila Mathias, Areia Branca, Castelo, Aparecida, Santa Maria/Bom Retiro, Macuco/Estuário, Gonzaga, Caruara, Morro São Bento e Vila Nova/Paquetá, além do José Menino e Pompeia.  

“Aproveitamos o Dia do Desafio para fazer esse aquecimento fundamental para encararmos nosso serviço, que é de esforço físico. Caminhamos bastante, subimos e descemos escadas, então agora está todo mundo disposto”, disse a agente de endemias Luana da Silva Patrício dos Santos, 34 anos, também estudante de educação física e quem elaborou os exercícios.  

Para Liseane Quadros, chefe do IEC (Informação, Educação e Comunicação), da Seção de Controle de Vetores, que organizou a iniciativa, “o desafio maior é acreditarmos que podemos transformar e conscientizar as pessoas. Somos ativos nesse processo de combate a essas doenças”.  

 

ORIENTAÇÕES

Entre os imóveis visitados, a residência de Gessi Mendonça, 62, moradora há três meses na Rua Almirante Custódio de Melo, na Pompeia. Ela foi orientada por um dos agentes a se atentar ao acúmulo de água nos ralos. “Tenho todos os cuidados, jogo cloro e creolina. Cada um tem que fazer a sua parte”.  

Enquanto os agentes percorreram os imóveis, um posto fixo ficou montado na Praça do Surfista, com o grupo de IEC. Ali, a população que buscou orientação pôde aprender maneiras simples de evitar criadouros, como colocar cloro e sal grosso nos ralos e detergente na bandeja da geladeira. Também teve distribuição de folhetos informativos pelo calçadão e faixa de areia.

OUTRAS AÇÕES

 

Neste ano também foram realizadas, em parceria com a Superintendência de Controle de Endemias (Sucen), do governo estadual, ações de bloqueio ao Aedes em áreas de risco. No início de maio, ação com aspiração de alados e nebulização em pontos estratégicos, além de vistorias nos imóveis, ocorreu nos bairros Macuco e Estuário, os quais concentravam a maioria dos casos confirmados de dengue no Município. No final de abril, também foi realizada no Caruara, após confirmação de dois casos de chikungunya. De janeiro a maio deste ano foram confirmados 56 casos de dengue, três de chikungunya e um de zika vírus entre residentes em Santos (sem mortes).

 

Fotos: Susan Hortas