Conteúdo
Notícias

Museu Pelé abre mostra fotográfica de personagem infantil sueca

Publicado: 26 de junho de 2018
13h 43

O ex-jogador Pepe e a atriz Flavinha Scanuffo, 12 anos, recepcionarão o público do Museu Pelé (Largo Marquês de Monte Alegre, 1, Centro Histórico) nesta sexta-feira (29), das 12h às 16h, na abertura da mostra fotográfica ‘Pippi em Santos’. A atriz mirim encarna a personagem Pippi Meialonga, da escritora infantojuvenil sueca Astrid Lindgren, que encontra o ‘canhão da Vila’ e com ele visita a Vila Belmiro.

A exposição, com fotos de Paulo Villar e curadoria de Rodrigo Accioly, marca, também, os 60 anos da histórica final da Copa da Suécia, quando o Brasil venceu, no dia 29 de junho, o time da casa por 5 a 2 e conquistou o título de campeão mundial pela primeira vez. Foi também em 1958 que o menino Edson Arantes do Nascimento, então com 17 anos, era escalado pela primeira vez para jogar na Seleção Brasileira, na Copa do Mundo da Suécia.

Com Pepe, Pippi encontra os ‘Peixinhos da Vila’, meninos da categoria sub-11 do Santos Futebol Clube, e, com eles, acontece a reconstituição da partida final de seis décadas atrás. Pepe é bicampeão mundial com a seleção brasileira em 1958 e 1962 e o segundo maior artilheiro da história do Alvinegro Praiano.

A mostra poderá ser apreciada até o dia 15 de setembro. O Museu Pelé funciona de terça a domingo, das 10h às 18h (bilheteria fecha 1h mais cedo), com ingresso a R$ 10,00 – aos domingos, todos pagam meia.

 

PIPPI

A personagem Pippi tem cabelos vermelhos, amarrados em duas tranças, usa meias bem compridas e um par de sapatos muitos números maior que seus pés. Para prover suas necessidades, tem um baú cheio de moedas de ouro, aspecto que, aliado a uma grande força física, atribuiu à personagem um grau de independência revolucionário na época. 

"Pippi é uma menina que tem poder. Isto é extraordinário, pois leva a criança a pensar que, se fosse a Pippi poderia dizer a seus pais: Não faça isso! Pippi tem o poder, mas não abusa dele”, disse a escritora, em entrevista de 1985.

 

PRÊMIOS 

Astrid Lindgren conquistou, também em 1958, a Medalha Hans Christian Andersen, seu primeiro grande reconhecimento internacional, com o livro Pippi a Bordo, traduzido para mais de 70 idiomas. 

Vinte anos depois, ela recebeu o Prêmio da Paz do Comércio Livreiro Alemão por seu discurso ‘Violência Jamais’, que antecedeu em um ano a legislação antipalmada na Suécia. Em 1999, a autora foi eleita, em consulta do jornal Aftonbladet, a figura mais influente do século XX, por sua luta em favor das crianças.

A exposição ‘Pippi em Santos’ é uma realização da M31 Produções com apoio de Volvo Cars, BrazilCham Sweden, Santos FC, Prefeitura de Santos e Companhia das Letras, com parcerias de Espaço Visual, Studio LB e Moura Sport.