Conteúdo

Mês do Servidor. Orientação sobre sustentabilidade é rotina para Lucimara. Veja o vídeo

18 de outubro de 2018
11h 00

Há 33 anos, Lucimara da Silva deixava a profissão de empregada doméstica para ingressar no serviço público municipal. “Foi muito bom, não apenas financeiramente, mas pelo conhecimento que adquiri em diversas áreas, diz, lembrando que já passou pelas secretarias de Esportes (Semes), Cultura (Secult) e Meio Ambiente (Semam), onde trabalha atualmente, na Seção de Projetos Ambientais.

Mara, como é conhecida pelos colegas, tem 51 anos e mora em um edifício no Marapé, onde orienta os vizinhos sobre os conceitos de sustentabilidade que adquiriu na Semam. “Hoje vejo tudo de outra forma na questão ambiental. Procuro fazer minha parte também, como a reciclagem o lixo. Passei a ter mais consciência. E oriento as pessoas do prédio onde moro. Falo para as crianças jogarem papel no lixo. Quando brincam com água, explico que não podemos desperdiçar”.

Ao longo das décadas na Prefeitura, ela conta que colecionou desafios. “Uma vez, um chefe me incumbiu de colocar no papel tudo o que havia no almoxarifado. Com apenas uma semana de prazo. Foi um trabalho muito difícil, mas consegui e dali em diante fui evoluindo”, conta, lembrando que também teve de enfrentar diversas mudanças. “Para mim, computador era um medo. Eu estava tão bem na máquina de escrever [risos]. Hoje vejo o quanto é boa a informatização. As copiadoras são modernas e há muita coisa que facilita o trabalho, como os processos digitais. No primeiro momento, você fica com receio, mas depois vê o quanto ajuda”.

Sobre o serviço público, Mara prega o respeito nas relações com o munícipe. “Quando o servidor gosta da função que exerce, faz todo o possível para auxiliar. Se, no momento do atendimento, eu não tiver alguma informação, vou procurar e depois retorno. Muitas vezes, a pessoa até fica surpresa por respondermos”, relata, explicando que atende o público além de atuar com trâmites administrativos. “Oriento, por exemplo, sobre dias da coleta seletiva”.

Quanto ao futuro, ela conta que, depois de aposentada, pretende se aperfeiçoar no trabalho de massagem relaxante e desenvolver alguma atividade voluntária. “Não sou uma pessoa sedentária. Não é meu perfil”.

 

RECONHECIMENTO

O “espírito de colaboração” de Mara foi um dos motivos pelos quais recebeu indicação da Semam para a homenagem do Mês do Servidor, diz o secretário Marcos Libório. “Ela é delicada, demonstra muito esforço e faz tudo com muita qualidade. Dá sempre um passo a mais do que a obrigação, o que é importante no funcionalismo”.

 

Foto: Susan Hortas