Conteúdo

Mais de 300 moradores de rua já passaram pelo Centro Pop

9 de outubro de 2013
12h 17

A maioria dos usuários do Centro Pop é homem, tem entre 18 e 59 anos e o espaço de convivência é o mais usado na instalação, que fica na rua Conselheiro Saraiva, 13. O equipamento da prefeitura serve como porta de entrada para a população em situação de rua para os serviços da Seas (Secretaria de Assistência Social).

O primeiro balanço do órgão abrange o período de 25 de julho até 30 de setembro. Criado para atender 80 pessoas/dia, o Centro Pop recebe diariamente, em média, 100 moradores em situação de rua.

A contabilidade do uso deste serviço público mostra que 337 cidadãos estiveram no local nesse período. Por outro lado, 14 solicitaram voltar a sua cidade de origem. A coordenadora do serviço, Luciana Bolognini, explica que neste caso um operador social entra em contato com a família e verifica a possibilidade do retorno ao convívio familiar. Se essa hipótese for descartada, o contato seguinte é com o Cras (Centro de Referência de Assistência Social) para confirmar a existência de vaga para acolhimento.

“Não damos uma passagem de ônibus e a pessoa simplesmente vai embora”, explica Luciana. “Acompanhamos essa transferência para ter a garantia de que um serviço de assistência social vai acompanhar o caso”.

Recomeçar já abordou mais de cem pessoas nas ruas
De 16 a 30 de setembro o programa Recomeçar abordou 111 moradores em situação de rua, encontrados na região compreendida pelo entorno da Hospedaria dos Imigrantes, próximo ao mercado municipal, av. Campos Sales e redondezas. Nesse período, não só essas pessoas receberam cuidados médicos e assistenciais, como o próprio aspecto das vias públicas mudou. O trabalho envolve diretamente cerca de 50 pessoas de 14 secretarias. O Recomeçar continua atuando na mesma região, mas o plano é levar o programa a outros pontos da cidade.

Ações Intersetoriais

Assistência Social/Saúde
65 receberam orientação de saúde
47 marcaram consultas médicas
6 encaminhados ao PS
2 encaminhados ao Craids
39 declararam-se usuários abusivos de álcool e drogas e não aceitaram encaminhamento
2 apresentaram problemas de saúde mental
1 portador de tuberculose com recusa de tratamento
30 encaminhados ao Centro Pop
18 solicitaram regularização de documentos
3 pediram emprego

Guarda Municipal
7 caminhões com diversos materiais
23 cachimbos de crack, 1 foice, 4 espetos de churrasco, 17 flaconetes para consumo de drogas, 2 estiletes, 1 serrote, 28 facas, 2 tesouras, 15 cadeiras de praia e 1 espátula.

CET
11 veículos fiscalizados
2 veículos em processo de guinchamento
2 multados
29 carroças de carrinheiros fiscalizadas
7 carrinhos de supermercados recolhidos
 
Cristolândia
100 pessoas abordadas, 53 aceitaram tratamento e 17 serão encaminhadas para a unidade de Itaquaquecetuba.

(*) O mesmo morador de rua, quando aceita a ajuda, em geral aparece em mais de uma abordagem. Ele pode, por exemplo, ter recebido orientações de saúde, ser encaminhado para consulta médica, e ainda ter ido ao Centro Pop.