Conteúdo
Notícias

Live do Dia Mundial da Criatividade mostra empreendedores que se reinventaram

Publicado: 23 de abril de 2021
18h 18

Crise, necessidade, reinvenção. Foi sobre esse tripé que Cyro Neto, criador da marca CyroNetoforHome, e Heloisa, da Esculpindo.Sonhos, estão conseguindo driblar o impacto financeiro da pandemia. “Eu já produzia home sprays, águas de lençol e aromatizadores, mas em dezembro resolvi entrar no ramo da saboaria. Está dando tão certo que na próxima semana inicio a venda de sabonetes de lavanda francesa, alecrim, capim limão e de chá branco”, afirmou Cyro.

Professor de educação física, ele encerrou a live em comemoração ao Dia Mundial da Criatividade, realizada na noite desta quinta-feira, na página do instagram @feito.emsantos, iniciativa da Seectur (Secretaria de Empreendedorismo, Economia Criativa e Turismo). Nessa página do Instagram, 150 marcas de produtores locais e empreendedores artesanais comercializam seus itens até o final de maio. O dia mundial foi celebrado na quarta-feira (21).

JANELA DE OPORTUNIDADES

Animado com as perspectivas de seu trabalho como artesão, ele diz estar “ficando impossível”, pois toda hora inventa “um negócio diferente”. Cyro afirma ter sido obrigado a se reinventar no meio da pandemia. “Meu projeto começou do zero”, prosseguiu, elogiando a criação da página no Instagram. “Artesãos, aproveitem essa janela enorme para mostrar o seu trabalho”, conclamou.

Já Heloisa começou seu negócio quase por acaso, quando fez um curso de cenografia para festas, em 2018, pensando no aniversário do filho. “Fiz a festa e enxerguei a possibilidade de ingressar nesse mercado”. E ela, que nunca havia trabalhado, começou a atuar justamente no meio da pandemia. “Em dezembro de 2020, passei a oferecer decoração para festas, para que as pessoas pudessem registrar esses momentos dentro de casa.”

Ela cria peças decorativas e começou logo fazendo uma girafa de 2m de altura, que suporta o peso de uma pessoa de 80 quilos. “Esculpi em isopor, depois apliquei fibra de vidro e coloquei vergalhões nas pernas. Demorou um mês para terminar”, comentou. Agora, ela dispõe de um acervo cenográfico para venda ou locação e já começou a fazer peças em biscuit. “Estou fazendo mais cursos. Estou me reinventando e com muitos planos para o futuro.”


Economia criativa cresce no Brasil

Com intermediação de Aline Ubida, coordenadora de Economia Criativa da Seectur, a live foi aberta pela secretária Selley Storino, que ressaltou a importância da criatividade, sobretudo nos momentos de crise. Ela destacou levantamentos da Price, renomada empresa mundial de consultoria, que prevê um crescimento da economia criativa, no país, de 5,2% ao ano até 2025, enquanto as perspectivas mundiais são de 4,5%.

Já o PIB do setor criativo é de 2,61% no Brasil, totalizando R$ 171,5 bilhões, com mais de 800 mil profissionais empregados, também de acordo com a Price. Selley frisou ainda o fato de Santos ser o único município brasileiro eleito para a Rede de Cidades Criativas no cinema, uma das sete áreas definidas pela Unesco. “Além disso, a Cidade venceu a disputa mundial para sediar o encontro de Cidades Criativas da Unesco, adiado de 2020 pela pandemia.

“É a primeira vez que uma cidade da América Latina recebe esse evento”, comentou a secretária. Ela ainda falou sobre as Vilas Criativas, inauguradas a partir de 2015, e a importância desses espaços de cultura, esporte, lazer e profissionalização, que funcionam em áreas de vulnerabilidade social.