Conteúdo

Linha turística do bonde ganha mais 1,2 km

28 de abril de 2009
0h 00

Na celebração do Centenário do Bonde Elétrico em Santos, a prefeitura inaugurou, nesta terça-feira (28), um novo trecho da linha turística do Centro Histórico, que acrescenta mais 1,2 km ao trajeto original de 1,7 km, e amplia o processo de revitalização do bairro. O circuito completo, a ser concluído entre maio e junho, terá 5 km, percorrendo 40 pontos de interesse turístico e histórico. Após a solenidade comemorativa, realizada na Estação do Valongo, aconteceu o passeio inaugural na linha ampliada. Durante todo o dia, os bondes circularam lotados de santistas das mais variadas idades. O novo trajeto já está incorporado ao roteiro, cujo embarque é feito na estação da Praça Mauá, de terça a domingo, das 11h às 17h. O centenário dos bondes elétricos e o papel na linha turística no processo de revitalização do Centro Histórico foram enfatizados pelo prefeito João Paulo Tavares Papa: "Há 100 anos os bondes elétricos deram início a uma nova era para Santos, trazendo modernidade, gerando desenvolvimento e integrando a cidade. Hoje, a linha turística serve de exemplo para a revitalização de áreas históricas, despertando o interesse até de capitais, como Curitiba". A vinda dos exemplares portugueses, da cidade do Porto, e italianos de Turim para compor o acervo do Museu Vivo do Bonde de Santos e as negociações para obter um exemplar holandês, da cidade de Roterdam, também foram relatados pelo prefeito, que agradeceu aos doadores e aos parceiros que viabilizaram o transporte: Hamburg Süd – Aliança; Rodrimar; Orey-Alemoa; Emídio Mendes, do Riviera Group; Geraldo Pierotti; João Mexia Santos, do Meliá Palácio Lousã; e o advogado Roberto Mehanna Khamis. Os presentes se emocionaram com um vídeo sobre a história dos bondes na cidade, que reuniu depoimentos variados, inclusive o de Edith Pires Gonçalves, da Fundação Pinacoteca Benedicto Calixto. Aos 90 anos, ela traduziu o sentimento da população santista que viveu na época em que o sistema operava: "Chorei quando o último bonde deixou de circular, em 1971". O ex-prefeito Beto Mansur falou sobre o resgate do bonde na linha turística, assim como o jornalista Luiz Guimarães, que na época era secretário municipal de Turismo. Participaram da solenidade, que teve ainda apresentação de bandas escolares e ‘Carlos Gomes’, vereadores, secretários municipais, historiadores, estudantes, ex-funcionários e familiares. TRAJETO AMPLIADO Com o trecho inaugurado, a linha passa a ter 2,9 km. O novo "anel" se estende pela Rua Augusto Severo, praças Barão do Rio Branco e da República, ruas Visconde do Rio Branco, da Constituição e General Câmara, até a Praça Mauá. Assim, o circuito se interliga ao original, inaugurado há quase nove anos, que sai da Praça Mauá, e segue pelas Ruas General Câmara e do Comércio, Largo Marquês de Monte Alegre, Rua Tuiuti, Praça Barão do Rio Branco e Rua Augusto Severo. Os bondes agora passam pelo Pantheon dos Andradas e o Conjunto do Carmo, na Praça Barão do Rio Branco; o monumento ao fundador da cidade Braz Cubas, a Alfândega e a Receita Estadual, na Praça da República; a Casa do Trem Bélico e o Outeiro de Santa Catarina - marco da fundação da cidade, na Rua Visconde do Rio Branco; e pelos os antigos casarões e a sede do jornal A Tribuna, na Rua General Câmara. O circuito completo, de 5 km, incluirá: Praça Ruy Barbosa, ruas Vasconcellos Tavares, Amador Bueno, Frei Gaspar, Avenida São Francisco, Praça Correia de Mello, ruas Bittencourt e Braz Cubas, integrando-se ao inaugurado nesta terça na Rua General Câmara. Será possível então apreciar a Igreja do Rosário, o Palácio Saturnino de Brito, o Colégio Barnabé, a subida pelo funicular ou pelas escadarias ao Santuário do Monte Serrat, Fonte de Itororó, 'Castelinho' dos Bombeiros, Sociedade Humanitária, Fórum, Catedral e Teatro Coliseu, entre outros pontos. PROGRAMAÇÃO PROSSEGUE A comemoração do centenário dos bondes elétricos prossegue: pessoas interessadas em conhecer o processo de restauração dos veículos podem visitar nesta quarta (29) e quinta-feira (30) a oficina da CET (Companhia de Engenharia de Tráfego), à Av. Rangel Pestana, 100, das 10h às 12h ou das 14h às 16h. Nesta quarta, às 14h, na Associação Comercial de Santos (Rua XV de Novembro, 137, Centro Histórico), acontecem mais duas palestras sobre o tema: 'Um bonde chamado saudade', por Miguel Escandon, e 'Bondes de Santos: 138 anos de histórias', por Sérgio Williams. Na quinta, no mesmo horário e local, o engenheiro da CET, Marcos Rogério Nascimento, encerra o ciclo de palestras falando sobre 'O Museu Vivo do Bonde e seu acervo'. A exposição de painéis fotográficos alusivos e de antigas peças do sistema de bondes de Santos prossegue até domingo (3), na Estação do Valongo (Largo Marquês de Monte Alegre), das 11h às 17h. A programação alusiva ao centenário do bonde conta com o apoio do Instituto Histórico e Geográfico de Santos. BONDE NA REDE Internautas de todos os cantos do mundo já contam com a possibilidade de conhecer a história dos bondes elétricos de Santos. Como parte das comemorações pelo centenário, a prefeitura disponibilizou um hotsite exclusivo sobre o tema, que pode ser acessado na Internet pelo endereço http://www.santos.sp.gov.br/bonde No portal, desenvolvido pela equipe da Secom (Secretaria de Comunicação Social), é possível conferir a história dos bondes, a cronologia completa, fotos históricas, além das últimas notícias sobre o assunto. O espaço exclusivo detalha o acervo do Museu Vivo do Bonde, a ampliação do trajeto da linha turística – inclusive com mapa e com a relação dos pontos turísticos percorridos. O hotsite tem espaço especial também dedicado à equipe que trabalha no bonde, seja como guia de turismo, condutor, motorneiro e também na restauração. Outro ícone importante é o do projeto Vovô Sabe Tudo, que apresenta depoimentos dos idosos que atuam na linha do bonde. No portal, o internauta também confere vídeo preparado exclusivamente para a comemoração do centenário, e que propõe um passeio virtual no charmoso bondinho. Além disso, há prestação de serviços sobre o passeio, com informação sobre local de partida, bilhetes e horário de funcionamento da linha turística. LEMBRANÇAS QUE FICAM Vinte e nove funcionários que trabalharam no antigo serviço de bondes foram homenageados, nesta terça, antes do passeio que marcou a entrega do primeiro trecho ampliado da linha turística. Um misto de emoção e nostalgia dominou a todos, ocasião em que receberam quadro com a ficha funcional de quando eram trabalhadores da empresa municipal. O português Fernando Mendes Amorim, 77 anos, disse que vivia um momento lindo e tinha outros motivos para se emocionar. Ao lado da esposa, Gracinda Laura, observava do lado de fora da histórica Estação do Valongo um dos bondes vindos da região do Porto. "Utilizava esse bonde para ir trabalhar", relembrou ele. "E também namoramos nas viagens", completou ela. Também vindo de Portugal, o ex-condutor Felix Maria Gonçalves, 72 anos, levava cuidadosamente a sua antiga ficha de trabalho na viagem comemorativa. Do primeiro banco do reboque, acompanhou silencioso e visivelmente emocionado todo o trajeto. "Tudo isso é muito lindo. Nos faz relembrar muitas coisas", dizia ele, que por 35 anos trabalhou nas linhas de bondes da cidade. No desembarque, na Praça Mauá, em meio a abraços, Silvestre Nascimento Alípio, 74 anos, outro ex-condutor, comemorava também a oportunidade de rever antigos amigos que só o conheciam pelo apelido: Canjiquinha. HOMENAGEADOS Foram homenageados e receberam réplicas das suas fichas funcionais: Abel Ribeiro Neves, Adherbal de Godoi, Antonio Amorim Vasquez, Antônio Carlos Braz, Antônio da Silva, Antônio Ludovina Silva, Carlos Lourenço, Eliziano Silva Evora, Emidio Simões da Silva, Félix Maria Gonçalves, Fernandes Mendes Amorim, Fernando dos Santos Godinho, Francisco Gonzalez Gomes, Gabriel Pestana, José Augusto Lima e José Soares da Conceição. Foram homenagedos também: José Soares Costa, José Varela Sanchez, Josué Gerônimo de Campos, Jessé Pereira da Silva, Leonídio Dias de Sena, Luciano João Gomes, Manuel Lourenço Gonçalves, Maurício de Albuquerque Campos, Maurício Machado, Secundino Duarte Perez e Sivestre Nascimento Alípio. Os filhos de dois ex-funcionários já falecidos - Pedro Salgueiro e João Manoel da Silva Picado - receberam a homenagem 'in memoriam'. Pedro, que tinha 100 anos, faleceu no último sábado (25). PALESTRAS E LIVRO Para o jornalista e ex-secretário de Turismo, Luiz Dias Guimarães, a volta do bonde elétrico ocorreu dentro de um processo iniciado em 1998, a partir de uma ideia ousada de resgate e revitalização do Centro Histórico de Santos. Essa ideia amadureceu, evoluiu e tornou-se uma maravilhosa realidade, que hoje é o Museu Vivo do Bonde e referência para todo o país. O depoimento foi dado, nesta terça, durante palestra realizada pelo jornalista nas dependências da Associação Comercial de Santos. Ele fez um longo relato sobre os desafios da prefeitura para colocar novamente os bondes em circulação, o trabalho minucioso de restauro pelas equipes da CET-Santos e em como os elétricos podem contribuir para o desenvolvimento econômico e turístico do Centro Histórico. Na sequência, o historiador e pesquisador Waldemar Stiel desenvolveu o tema O bonde elétrico em Santos, operado a partir de 1909 pela ‘Companhia City’, a primeira empresa do gênero na América do Sul, segundo ele. A City construiu a primeira locomotiva elétrica do Brasil em 1919, que puxava trens de gado do Saboó para o Matadouro, explicou o historiador. Ainda na tarde desta terça, aconteceu o lançamento do livro Bondes de Santos, de Sérgio Willians, na Casa de Frontaria Azulejada (Rua do Comércio, 96), no Centro Histórico.

Feedback

Ajude-nos a tornar o Santos Portal melhor. Deixe um comentário, dúvida ou sugestão.