Conteúdo
Notícias

Licença-prêmio a servidores de Santos injeta mais R$ 2 milhões na economia

Publicado: 24 de setembro de 2021
20h 04

A Prefeitura depositou, nesta sexta-feira (24), mais R$ 2 milhões referentes ao pagamento de licenças-prêmio convertidas em pecúnia. O mesmo montante já havia sido pago em agosto, restando ainda mais R$ 2 milhões para serem quitados em outubro.

No total, 1,3 mil servidores municipais receberão o benefício até o mês que vem, numa injeção de R$ 6 milhões na economia local. Estão sendo contemplados aqueles que fizeram a solicitação ainda em 2020 e cujo valor a ser recebido não ultrapasse R$ 7 mil.

A medida foi uma das reivindicações do Sindicato dos Servidores Estatutários (Sindest) expostas em reunião realizada em junho com o prefeito Rogério Santos, sendo oficializada pelo Decreto Municipal no 9.381, publicado em 14 de julho.

Os R$ 6 milhões destinados às licenças-prêmio atendem a 49% dos processos abertos atualmente. As demais serão pagas nos meses seguintes, de acordo com a ordem cronológica dos pedidos – com exceção dos servidores acometidos por doenças graves e nos casos de falecimento, que terão prioridade.

Poder aquisitivo e celeridade

Para o secretário de Gestão, Rogério Custódio, os pagamentos representam “aumento do poder aquisitivo do servidor e incremento na economia local”. Ele cita também o andamento dos processos. “Ao diminuir a lista de pagamentos em quase 50%, fazemos com que toda a lista cronológica ande mais rápido. Ou seja, para um servidor cuja a previsão de pagamento seria em janeiro de 2023, é possível que em meados de 2022 seja depositada sua licença-prêmio convertida em pecúnia. Ao fim deste processo, entre servidores ativos e inativos, serão mais de R$ 37 milhões pagos”.