Seu navegador não possui suporte para JavaScript o que impede a página de funcionar de forma correta.
Mensagem do Periodo Eleitoral

Atenção

Em cumprimento ao Artigo 73 da Lei Eleitoral nº 9.504/97, as redes sociais e o portal da Prefeitura, a partir de 6 de julho até o final do processo eleitoral de 2024, publicarão apenas conteúdo de utilidade pública.

Conteúdo
Notícias

Lançamento de documentário marca 10 anos de atuação do Santos Jovem Doutor com alunos da rede pública

Publicado: 17 de junho de 2024 - 15h53

Noite de gala, com participação de alunos da rede pública, alunos veteranos, mais de 40 professores e coordenadores do programa Santos Jovem Doutor, que teve sua trajetória apresentada em documentário. O lançamento aconteceu no último dia 14, no Cine Roxy.

O filme, com 68 minutos de duração, contou um pouco da história e dos propósitos da iniciativa, que se tornou política pública em 2021, por meio da Lei Municipal 3.816, sancionada pelo prefeito Rogério Santos.

“Foi maravilhoso acompanhar neste documentário toda trajetória de 10 anos do programa, que é uma referência em estimular o protagonismo dos alunos e o entusiasmo na busca constante pelo conhecimento. Que venham muitos anos de aprendizado e jovens cada vez mais preparados para o mercado de trabalho”, disse a vice-prefeita Renata Bravo.

Para o Secretário de Saúde, Denis Vallejo, o destaque do programa é o combate às fake news. “Os alunos são parte importante do enfrentamento à disseminação de notícias falsas. Vocês, Jovens Doutores, são os nossos influencers, que recebem capacitação com materiais de alta tecnologia, detêm informações corretas sobre tudo, principalmente sobre a saúde, e as transmitem para seus familiares, amigos, comunidade. É necessária a comunicação esclarecedora, pois ela pode mudar o curso de uma sociedade, e todos fazem parte dessa mudança social. Me sinto honrado em participar deste momento de celebração. Foi um prazer imenso dar uma pequena contribuição para o documentário”, comentou o secretário.

Nestes 10 anos de Santos Jovem Doutor, cerca de 3.500 estudantes de 7º, 8º e 9º anos da rede municipal já passaram pela iniciativa, realizada em uma parceria entre as secretarias de Educação (Seduc) e de Saúde (SMS) e a Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP), por meio da disciplina de Telemedicina. A ação realiza atividades de valorização da ciência, prevenção e promoção da saúde, incentivando a cidadania e as relações interpessoais, transformando os alunos em multiplicadores do conhecimento.

COMPROMETIMENTO

Para o idealizador da iniciativa e chefe da disciplina de Telemedicina da FMUSP, Dr. Chao Lung Wen, essa primeira década do programa foi marcada pela persistência. “Primeiramente acho que houve um comprometimento social que a Cidade teve com uma causa, que é a transformação da educação em saúde e proporcionar para os seus estudantes o que há de melhor na qualidade educacional. Então, essa é a década da convergência, da tenacidade e da persistência dos professores, da coordenação, dos gestores que apoiaram muito. A Secretaria de Educação fez um papel formidável, inclusive durante a pandemia. Nos próximos anos nosso esforço vai ser envolver as faculdades locais, não apenas a USP. Nosso objetivo é um desenvolvimento social mais amplo daqui da região”.

A produção foi dirigida por Carlos Oliveira, da Cinespectra, com a colaboração da equipe do Santos Jovem Doutor. Ele conta que foi convidado para produzir e dirigir o documentário e foi necessário um processo de elaboração de um roteiro prévio. Depois, no período de gravação e produção, foi se consolidando o roteiro, até o processo de montagem.

“Foram três, quatro meses de gravações, muita gente envolvida, muitas pessoas entrevistadas, muitos alunos. Sobre o programa, eu achei muito revolucionário na educação, é algo que envolve a educação vivencial, coisas que na minha fase de aluno eu não tive e agora a gente vê essa possibilidade de os alunos terem toda essa metodologia. Toda essa disposição deles para que possam se desenvolver é maravilhosa. Eu como produtor e diretor me sinto muito grato e privilegiado por ter feito esse trabalho”, complementou Carlos Oliveira.

Segundo a coordenadora executiva do projeto, Ana Lúcia Caetano, o documentário é a representação do trabalho realizado. “Olha, é como eu sempre falo, o documentário não era um sonho, ele foi uma construção, pois foram tão impactantes as transformações desses jovens, que os professores falavam: ‘Ana, tem que registrar isso, tem que virar história’”, conta.

“Então, a gente arrumou um jeito que se tornasse história para a Cidade. Estou muito feliz com tudo isso. Quando chegamos na escola era para gravar um pouquinho da realidade que acontece em sala de aula. Não preparamos ninguém, a aula estava acontecendo e a gente gravava. Tudo que foi gravado no documentário é genuíno, nada foi ensaiado antes, isso é o mais gratificante”, comentou Ana Caetano.

A produção contou com o apoio institucional da Prefeitura de Santos, do Núcleo de Inovação em Educação Vivencial e da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, por meio da disciplina de Telemedicina. Apoio cultural: Cine Roxy, André Olmos e Unimes. Patrocínio: Nexamed, Mari Chao, Hospital Beneficência Portuguesa, Arqueria, Collor Copy Guarujá e Investidor Breno Lopes.

Alunos do Santos Jovem Doutor

Para o aluno da UME Edméa Ladevig (Gonzaga), 9º ano, Tiago Lima Silva, a iniciativa mudou o modo como ele interage com as pessoas hoje. “É muito gratificante estar participando de um documentário do Jovem Doutor. Eu consegui mudar muito na questão de timidez, tinha muita vergonha em falar em público, mas depois que comecei no programa, passei a ter mais desenvoltura”.

Para a aluna veterana, que atualmente cursa o técnico de enfermagem, por conta do Programa, Ana Caroline Lima Costa, 19 anos, voltar ao Santos Jovem Doutor e participar do documentário é um ‘orgulho’. “Voltei como veterana e estou atuando na escola Oswaldo Justo, juntamente com a professora Jéssica, ajudando os alunos. E o documentário foi perfeito, gostei muito de participar com os outros alunos, está sendo uma experiência nova pra mim. O Santos Jovem Doutor me inspirou a ter essa vontade na área da saúde. Ao longo desses anos pude acompanhar e sentir essa vontade com o projeto”.

Para a professora Maria de Lourdes Medeiros, que está no programa desde o primeiro ano, o documentário é uma lição a ser seguida. “É uma sensação de dever cumprido. Quando olhamos o resultado de tudo isso, quando vemos os alunos veteranos voltando para colaborar, quando escutamos os depoimentos dos estudantes, quando encontramos jovens doutores no mercado de trabalho, enfim, é uma sensação de que estamos fazendo a lição e a certeza de que é um programa de excelência”.

Esta iniciativa contempla o item 4 dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU: Educação de Qualidade. Conheça os outros artigos dos ODS.