Conteúdo

Laboratório de última geração é inaugurado no Parque Tecnológico de Santos

8 de março de 2018
14h 48

Um laboratório equipado com a mais alta tecnologia em software e hardware foi inaugurado nesta quinta-feira (8), no Parque Tecnológico de Santos. O LogMob está aberto a empresas públicas e privadas e instituições de ensino superior e de ciência e tecnologia que tenham interesse no desenvolvimento de projetos nas áreas de logística, mobilidade e meio ambiente. Foi concebido para se tornar um centro de referência e excelência nessas três áreas.

Os principais equipamentos instalados no local são três servidores com capacidade de 12 terabytes de armazenamento; oito estações de trabalho com 1 terabyte de capacidade cada; um video wall de 150 polegadas; cinco tablets para trabalho de campo; impressoras a laser; internet de 100 megabytes e rede wi-fi de última geração. Foram instalados softwares de simulação, modelagem, animação 3D e também os que permitem a execução e o desenvolvimento de projetos nas diversas áreas de Engenharia, inclusive com recurso de construção de protótipo virtual.

Ao todo, foram investidos R$ 800 mil no LogMob, fruto de uma parceria entre a Prefeitura e o Governo do Estado. “Este é mais um passo que Santos dá no sentido de utilizar a tecnologia e a inovação na busca de solução dos problemas diários do cidadão. Esse equipamento será muito importante, por exemplo, durante a construção do novo acesso na entrada da Cidade, cuja primeira etapa já foi iniciada, para realizar simulações e perspectivas para o trânsito”, destacou o prefeito Paulo Alexandre Barbosa.

O presidente da Fundação Parque Tecnológico (FPTS), Antonio Carlos Silva Gonçalves, destaca que a resolução de demandas nem sempre passa pela execução de obras. “Às vezes, com pesquisas, você consegue analisar o dia a dia dos segmentos e resolver de forma mais simples os grandes problemas do município”.

Qualquer empresa pública ou privada, além das instituições de ensino superior e de ciência e tecnologia, pode inscrever projetos no LogMob. Eles serão analisados por uma comissão técnica da FPTS. “Esta é mais uma iniciativa que posicionará Santos como uma cidade inteligente”, destaca Paulo Loyola de Souza, diretor técnico da FPTS.

Instituições de ensino

Com o LogMob, a parceria entre o Parque Tecnológico e as universidades parceiras tende a se ampliar. “Podemos gerar uma nova cidade, onde haja investimentos de trabalho, mão de obra, de produtividade e tecnologia e que tudo isso possa ficar dentro de Santos, porque estamos exportando talentos por causa das oportunidades que aparecem em outros cantos”, afirma Silvia Teixeira Penteado, reitora da Universidade Santa Cecília (Unisanta).

O reitor da Universidade Católica de Santos (UniSantos), Marcos Medina Leite, destaca que a instituição já possui grupos de pesquisa operacional, ciência básica que está por trás dos conteúdos que são trabalhados os modelos logísticos e de complexidade. “Temos esses grupos trabalhando com modelagem de problemas complexos, que envolvem logística e mobilidade urbana. Para nós será uma participação natural. Podemos integrar os laboratórios de forma complementar aos trabalhos realizados. O LogMob é um passo importante para o Município e instituições, porque é um investimento em favor da ciência, da pesquisa e do desenvolvimento tecnológico”, pontua Medina.

Alemoa Industrial será contemplada com projeto de mobilidade e logística

O primeiro projeto do LogMob terá como objeto o trânsito na área da Alemoa industrial, com finalidade de melhorar a logística e mobilidade.

O objetivo é propôr obras e intervenções de curto, médio e longo prazos para serem implementadas com base em simulações, configurações e cenários de movimentação de cargas e veículos. A iniciativa será capitaneada pelo Inesc Brasil - Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores, Pesquisa e Desenvolvimento do Brasil, que já é parceira do Parque Tecnológico. “O projeto envolverá as empresas que lá estão instaladas, o afluxo de veículos de entrada e saída, principalmente para atender as demandas portuárias, e também as necessidades locais da CET. Vamos trabalhar com os softwares instalados no LogMob e compor uma equipe de bolsistas de universidades de Santos e de instituições de ensino parceiras do Inesc Brasil”, destaca Alexandre Rocco, diretor executivo do instituto.

O secretário municipal de Governo, Rogério Santos, destaca que esse projeto “vai ajudar muito na principal obra do município” (melhoria no acesso à Cidade). O projeto será coordenado pelo professor Roberto Piedade Francisco, santista de nascimento e titular da Universidade Federal de Goiânia.

Foto: Isabela Carrari