Conteúdo

Jogo de tabuleiro facilita compreensão do estatuto da criança por estudantes em Santos

27 de agosto de 2019
9h 00

Alunos das escolas municipais de Santos têm agora a oportunidade de aprender sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) de forma interativa: um grande jogo de tabuleiro, feito em EVA, confeccionado especialmente para destacar aspectos da legislação, sem necessidade de decorar artigos e tornar os estudantes mais conscientes de seus direitos e deveres.

 

Na tarde desta segunda-feira (26), os alunos do ensino fundamental II da escola Lourdes Ortiz (Ponta da Praia) tiveram o contato com o jogo pela primeira vez. A dinâmica foi aplicada por representantes da Secretaria de Desenvolvimento Social da Prefeitura, mas o tabuleiro ficará na escola como material didático para as próximas interações, a serem realizadas pelos profissionais da própria unidade.

 

As próximas ações serão realizadas nas escolas municipais Edmea Ladevig (Gonzaga, nesta sexta feira, 30), Cidade de Santos (Embaré, dia 16 de setembro), 28 de Fevereiro (Saboó, 20 de setembro), Martins Fontes (Morro da Penha, 23 de setembro), Avelino da Paz Vieira (Vila Nova, 27 de setembro), José Genésio (Morro José Menino, 21 de outubro) e Judoca Ricardo Sampaio (Caruara, 25 de outubro). Outras dez estão programadas para 2020. Todas as escolas ganham um exemplar do jogo.

 

“Por meio do conhecimento, fortalecemos esses cidadãos e os tornamos multiplicadores. O público de cada escola tem uma realidade diferente e essa vivência nos fará conhecer melhor esses alunos também”, destaca Sandra Santos, da Seção de Políticas para Infância e Juventude da Prefeitura.

 

O arteducador Diego Valentim foi o responsável pela idealização do jogo e pela criação de cada peça. A estratégia que percorre agora as escolas foi adaptada de uma ação exitosa ocorrida no ano passado com crianças nos centros de convivência (Cecons), em comemoração aos 30 anos de promulgação do Estatuto de Criança e do Adolescente. Nos centros de convivência, o tabuleiro era um grande tapete de tecido pintado à mão.

 

“Li o ECA e o traduzi para uma linguagem mais simples, de forma a trazer as vivências do cotidiano deles para o debate e conectando sempre com o estatuto. A intenção não é decorarem a lei, mas saberem os seus direitos e deveres. Dessa forma, conseguiram assimilar e, meses depois, pintamos o grande tapete”, lembra Diego.

 

A iniciativa é da Coordenadoria da Juventude, da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social (Seds), e teve apoio de emenda parlamentar de cerca de R$ 20 mil do vereador Geonísio Pereira Aguiar (Boquinha), para a aquisição dos materiais e confecção manual de cada um dos jogos.

 

Feedback

Ajude-nos a tornar o Santos Portal melhor. Deixe um comentário, dúvida ou sugestão.