Conteúdo

Gingado da capoeira encanta idosos em festival santista

28 de junho de 2019
18h 35
Idoso e menino jogam capeira em salão onde outras duplas também jogam. #Pracegover

A sabedoria conquistada pelas pessoas da terceira idade ganhou gingado especial nesta sexta-feira (28) com o toque do berimbau, na primeira aula do 6º Festival de Capoeira, realizada no Espaço do Idoso (Embaré), A atividade teve participação das crianças do Grupo Amigo do Lar Pobre (Galp), que trabalhou a sociabilização, autoestima e o resgate de valores entre os dois grupos que interagiram na atividade.

Segundo o coordenador do evento, mestre Marcio, do projeto Capoeira Escola – Capoeira para Todos, o início do festival com os idosos não é ao acaso; tem a ver com a alegria e o envolvimento deles com a vida. “Escolhemos este espaço pelo que ele  oferece de energia e, para as crianças queremos transmitir a importância de respeitar os mais velhos e da troca de experiência que é possível ter com eles”.

Para os frequentadores do Espaço do Idoso, o gosto ‘de quero mais’ ficou e a expectativa é de que a aula aberta torne-se uma atividade fixa do equipamento da Prefeitura. Odisséia Phanchorra, de 69 anos, contou que seu filho, hoje adulto, jogou capoeira quando  pequeno e muitos benefícios foram conquistados, mas não imaginava que ela mesma ficaria tão entusiasmada. “Eu amei. O gingado é diferente, é de arrepiar”.

Uma das mais novas do grupo é Elza Loureiro Martins, 60 anos, que sempre foi praticamente de atividades físicas e terminou a primeira aula de capoeira, descrevendo a sensação de total relaxamento. “Estou bem leve, foi um momento de bastante descontração e a mente da gente fica vazia”, fala ela sobre a importância de fazer uma atividade, se divertir e deixar os problemas de lado. “Nessa fase da vida a gente se assume mais em tudo e não há mais ‘mimimi’ com o corpo”.

Aprendizado – A pequena Manuela Peres dos Santos, de 10 anos, que ajudou vários idosos a iniciar na capoeira, ficou feliz com o resultado da tarde interativa. “Foi muito legal porque eles sorriem muito, fizemos uma grande roda e eles conseguiram participar dos movimentos”.

Programação - Neste sábado, 10h30, haverá a palestra ‘A capoeira e a cultura de paz’ no Sesc (R. Conselheiro Ribas, 136, Aparecida), e no domingo, 14h,  será a vez do tema ‘A capoeira e sua pluralidade cultural’, na Concha Acústica (Av. Vicente de Carvalho s/nº, Gonzaga). O evento terá programação especial e deve reunir cerca de quatro mil pessoas até o dia 11, sob realização da  Coordenadoria de Promoção da Igualdade Racial e Étnica e do Projeto Capoeira Escola. O festival acontecerá em vários outros locais (veja abaixo) até dia 11, para atrair pessoas de todas as regiões, idades, incluindo pessoas com deficiência. 

 

Outras ações:

Segunda-feira (1º)

  • Às 15h, A capoeira e seus processos de adaptação - Capoeira Para Todos - Apae Santos (R. Barão de Paranapiacaba, 91, Encruzilhada).
  • Às 19h, A capoeira e sua ancestralidade - Unimes (Av. Conselheiro Nébias, 536,  Encruzilhada).

 

Terça (2)

  • Às 15h, A capoeira e a transformação social - Albergue Noturno (R. Braz Cubas, 289, Vila Nova).
  • Às 19h, Capoeira e o controle corporal cinestésico - Centro Esportivo da Zona Noroeste (R. Fausto Félicio Bruzarosco, 400, Castelo).

 

Quarta (3)

  • Às 15h, Capoeira como ferramenta de cidadania - Legião da Boa Vontade (Av. Conselheiro Nébias, 398, Encruzilhada).
  • Às 19h, A capoeira e seu poder de sociabilização - Vila Criativa da Vila Progresso (Rua Moisés, antiga Rua 3).

 

Quinta, (4)

  • Às 14h, A capoeira e a inclusão das pessoas com deficiência - Escola de Educação Especial Seara de Jesus - MEIMEI (Av. Washington Luís, 443, Boqueirão).
  • Às 19h, A capoeira e o resgate social - Vila Criativa da Vila Nova (Praça Rui Ribeiro Couto  s/nº,  Vila Nova).

 

Sexta (5)

  • Às 14h, A capoeira e a reorganização neurológica,  Abase - Centro de Convivência Maria Helena (R. Conselheiro Lafaiete, 93, Embaré).
  • Às 19h, Torneio Infantil Individual - Gremetal - Grêmio Recreativo dos Metalúrgicos de Santos (R. Paraná, 156, Vila Mathias).

 

Sábado (6)

  • Às 10h, Senzala me chama (Evento em homenagem ao Mestre Valtinho - in memorian), Centro de Atividades Integradas (Cais - Av. Rangel Pestana, 150, Vila Mathias). 

Domingo (7)

Às 10h, Capoeira Adaptada para pessoas com deficiência motora - Praia Acessível (faixa de areia ao lado do canal 3).

 

Segunda (8)

  • Às 14h, Capoeira como formação de caráter, no Grupo Amigo do Lar Pobre (R. Silva Jardim, 21, Macuco).
  • Às 19h, Capoeira como qualidade de vida - Unimes (Av. Conselheiro Nébias, 536, Encruzilhada).

 

Quarta (10)

  • Às 18h30, Futebol dos Mestres - Unimes (Av. Conselheiro Nébias, 536, Encruzilhada).
  • Às 19h30, Histórias da Capoeira de Santos -  Unimes (Av. Conselheiro Nébias, 536, Encruzilhada).

 

Quinta (11)

  • Às 19h, Festival Cultural, com encerramento do Festival às 21h - Teatro Guarany (Praça dos Andradas, 100, Centro). 

 

Fotos: Francisco Arrais 

Galeria de Imagens

Idosa e jovem jogam capoeira em salão. Outras duplas também praticam. #Pracegover
Integração entre jovens e idosos
Menino, em primeiro plano, faz movimentos de capoeira. Atrás, duas mulheres e outras crianças acompanham. #Pracegover
Crianças, adultos e idosos se integram em atividade
Jovem está apoiada no chão com somente uma das mãos. Seus cabelos cobrem seu rosto. Ao fundo, os integrantes da roda de capoeira tocam instrumentos e batem palmas. #Pracegover
Encontro também teve demonstração de habilidades ao som de música