Conteúdo
Notícias

Fumacê contra o Aedes passa por mais dois bairros de Santos

Publicado: 26 de abril de 2021 - 15h47

Trechos da Vila Belmiro e do Marapé vão receber, entre terça (27) e quinta-feira (29), o fumacê para combater o mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, chikungunya, zika vírus e febre amarela urbana. Os veículos vão percorrer os bairros a partir das 18h.

A ação será feita por agentes da Seção de Controle de Vetores, da Secretaria Municipal de Saúde, que, na semana passada, passou por 48 quadras do Saboó e Valongo. Por problemas técnicos, o Marapé deixou de receber o fumacê na semana passada.

No Marapé, o inseticida será dispersado em trechos da Avenida Pinheiro Machado e ruas Gaspar Ricardo e 9 de Julho. Na Vila Belmiro, em outro trecho da Avenida Pinheiro Machado, em parte da Avenida Bernardino de Campos e na Rua Carvalho de Mendonça.

As equipes pedem aos moradores que deixem portas e janelas abertas e, se possível, que levantem a colcha da cama. A Secretaria Municipal de Saúde reforça as recomendações para que os moradores não deixem água parada e verifiquem pneus, garrafas, pratinhos de plantas e até bebedouros dos animais de estimação.

COMO É DEFINIDO

A chefe técnica da Seção de Controle de Vetores, Ana Paula Favoreto, explica que a escolha dos locais para realizar a nebulização contra o Aedes aegypti se dá com base em critérios. Um deles é a notificação de casos confirmados e suspeitos de arboviroses (dengue, chikungunya, zika e febre amarela urbana) somado aos dados das 465 armadilhas distribuídas pela Cidade. No Município, a aplicação do inseticida contra o Aedes aegypti é feita de duas formas: fumacê (com veículo dispersando o produto) ou com equipamento costal.

CASOS CONFIRMADOS

Este ano, Santos registrou 971 casos de chikungunya e 703 de dengue - nenhum de zika. Uma pessoa morreu este ano de chikungunya. O último registro de febre amarela foi na década de 1940.