Conteúdo
Notícias

Fogo da amizade sai de santos rumo ao memorial do imigrante

Publicado: 9 de junho de 2008
0h 00

A solenidade de despedida do Fogo da Amizade, realizada domingo (8) no Paço Municipal, reuniu autoridades e representantes da colônia japonesa. O fogo simbólico foi entregue pela secretária de Turismo, Wânia Seixas ao presidente da Federação das Províncias do Japão no Brasil, Akeo Uehara Yohui. Juntos, eles embarcaram no bondinho rumo ao Terminal do Valongo. Aprendemos ao longo deste ano um pouco mais sobre as tradições deste povo. Temos certeza que depois destas comemorações os laços entre Brasil e Japão estarão ainda mais fortes, afirmou Wânia. Durante a despedida, o ‘Fogo’ foi embarcado em dois vagões puxados por uma locomotiva, com destino ao Memorial do Imigrante (antiga Hospedaria dos Imigrantes), na Mooca, em São Paulo, pelas mesmas linhas que impulsionaram o desenvolvimento paulista, e que hoje servem os trens metropolitanos e de carga. Uma viagem de três horas pela Serra do Mar e o símbolo da união entre os dois países chegou à hospedaria. Os secretários estaduais de Cultura, João Sayad, e o de Turismo, Lazer e Esportes, Claury Alves da Silva, recepcionaram o grupo. Imigrantes japoneses receberam o Certificado de Desembarque no Brasil, e uma cerejeira, árvore símbolo do Japão, foi plantada nos jardins da antiga hospedaria, celebrando o centenário da imigração japonesa. O Fogo da Amizade permanece no Memorial até o próximo dia 21, quando será levada ao sambódromo de São Paulo para a grande festa dos cem anos da imigração, que vai contar com a presença do príncipe Naruhito, herdeiro da coroa japonesa. No mesmo dia, ele estará em Santos para a inauguração, no Emissário Submarino, da escultura da artista plástica Tomie Ohtake. CHEGADA A urna contendo o Fogo da Amizade chegou a Santos na noite de sexta-feira (6), a bordo do navio patrulha Curupi, depois de uma longa jornada, iniciada em 28 de abril, em Kobe, no Japão, data e porto de onde partiu o navio ‘Kasato Maru’ há cem anos, trazendo os primeiros imigrantes. Do convés da embarcação ao palanque montado no cais, a urna foi carregada pelo prefeito João Paulo Tavares Papa, o presidente da Associação para a Comemoração do Centenário da Imigração Japonesa no Brasil, Kikei Uehara, e pelo presidente da Kawasaki e representante da Associação Nipo-Brasileira de Kobe, Yoshio Shibuya. Para Uehara, que chegou ao Brasil em 1936, no navio Santos Maru, para trabalhar na lavoura e hoje é professor universitário, "este solo é sagrado. Lugar pelo qual cheguei e tive todas as oportunidades". O prefeito ressaltou a importância do trabalho e da cultura japonesa para o desenvolvimento do Brasil. "Que o afeto, respeito e a amizade entre Brasil e Japão sirvam de caminho para os outros países do mundo". A festa de chegada do 'Fogo da Amizade' teve várias apresentações musicais. A surpresa ficou por conta de um grupo de 50 crianças, do 4º e 7º anos, da escola municipal Lourdes Ortiz. Sob a regência da maestrina Sônia Rodrigues, eles cantaram e dançaram três músicas: Sakura Sakura, Hana e Uni Wo Watatte Hyaku.