Conteúdo

Fiscalização contra esgoto contribui para elevar Santos em ranking de saneamento

30 de julho de 2019
17h 03

Santos saltou para o segundo lugar no Ranking do Saneamento, divulgado no último dia 23 pelo instituto Trata Brasil. Na edição de 2018, a Cidade havia ficado com a 12ª colocação. Agora, entre os 100 maiores municípios do País, perde apenas para Franca (SP).

O bom desempenho santista se deve a notas máximas pela cobertura de 100% de água tratada em todo o território e pelos 100% de rede de esgoto na área urbana. Na capital, por exemplo, os índices são de 99,3% e 97% respectivamente. O relatório também levou em conta 580 novas ligações de esgoto na Cidade, número que atendeu à demanda.

No setor de saneamento, Santos conta também com um programa de fiscalização desenvolvido por meio de parceria entre a Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semam) e a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), com impacto positivo na balneabilidade de praias e rios.

A ação consiste em aplicar produtos especiais (gasosos ou líquidos), de fácil identificação, em ralos e sanitários de residências ou estabelecimentos comerciais para verificar se o mesmo material chega, por exemplo, aos canais. Em caso positivo, o responsável pelo imóvel é autuado, ficando obrigado a refazer a ligação. Neste ano, Já houve 19 intimações e seis autuações. Em 2018, foram 44 intimações e quatro autuações.

 

UNIVERSALIZAÇÃO

Em junho, estudo lançado pela Associação Brasileira de Engenharia Sanitária (Abes) apontou Santos como a quinta colocada entre as 243 cidades brasileiras com mais de 100 mil habitantes, no Ranking de Universalização do Saneamento – atrás apenas de Piracicaba (SP), Rio Claro (SP), São Caetano do Sul (SP) e Curitiba (PR).

A Abes leva em consideração índices de abastecimento de água e tratamento de esgoto, além de coleta e destinação adequada de resíduos sólidos.

 

LEIA MAIS

 

Defesa Civil orienta jovens sobre queimadas urbanas.