Conteúdo

Festival de teatro agita vários pontos de Santos neste fim de semana

31 de agosto de 2019
13h 41

O fim de semana chegou e, com ele, diversas atividades gratuitas estão previstas por toda a Cidade dentro da programação do 61º Festival Santista de Teatro (Festa), aberto na sexta-feira (30). Inspirado pela obra do dramaturgo Plínio Marcos, o evento tem como tema ‘O Berro do Povo’ e contemplará, até o próximo dia 7, várias linguagens artísticas.

Neste sábado (31), às 14h, na Praça dos Andradas (Centro Histórico), os destaques são duas atividades simultâneas: a Feira Afrotu (que resgata a identidade afro-brasileira, ações culturais, sustentáveis e empreendedoras) e a festa A Praça é Nossa. Já às 15h, será aberta a exposição ‘Onde Vamos?’, no Centro Cultural Cadeia Velha (Praça dos Andradas s/n, Centro Histórico). A mostra reúne recortes, imagens e documentos em homenagem aos 50 anos de ‘O Abajur Lilás’, outro importante texto de Plínio Marcos.

Pela Mostra Regional, a Cadeia Velha recebe ainda ‘O Suicídio mais Bonito do Mundo’, da Cia Valsa para Lua, e o Teatro do Kaos, às 19h. A partir das 20h, no Teatro Guarany (Praça dos Andradas 100, Centro), ocorrem a inauguração da ‘Exposição Mulheres de Luta: Força e Pluralidade’, de Bete Nagô, e, pela Mostra Estadual, a sessão da montagem ‘E.M.E.R.G.Ê.N.C.Y.A’, com a Cia. Antropofágica, de São Paulo.

Já neste domingo (1º) a programação tem início às 15h, no Teatro Municipal Braz Cubas (Avenida Pinheiro Machado, 48, Vila Mathias), com o grupo Era Uma Vez, que apresenta o espetáculo infantil ‘O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá’. A partir das 16h30, a Ocupação Anchieta (Rua São Paulo, 95, Vila Mathias) – onde funcionava a antiga casa de saúde homônima – recebe ‘Meu Quintal é Maior que o Mundo’, do Teatro Widia. Às 19h, na Cadeia Velha, o Teatro do Kaos apresenta ‘Vocifera’, enquanto o Coletivo Cê, de Votorantim (SP), exibe ‘1989’ no Teatro Guarany, pela Mostra Estadual.

ABERTURA

O público lotou o Teatro do Sesc, na noite de sexta (30), para a abertura da 61ª edição do Festa, que contou com a apresentação do musical ‘Inútil Canto E Inútil Pranto Pelos Anjos Caídos’, dirigido por Rogério Tarifa – e texto original de Plínio Marcos. No palco, o ato-espetáculo estreou em São Paulo em outubro de 2017 e era inédito na região. “As pessoas que organizam este festival são defensoras da liberdade de expressão artística. Esse festival representa esta resistência”, disse antes da apresentação o presidente do Sindicato dos Artistas e Técnicos em Espetáculos e Diversões do Estado de São Paulo, Dorberto Carvalho.

A abertura contou também com as presenças de Vinicius Cesar Sergio, chefe do Departamento de Eventos da Secretaria de Cultura de Santos, e de Kiko Barros, filho de Plínio Marcos. O Festa 61 é realizado pela parceria entre o Movimento Teatral da Baixada Santista, Sesc Santos, Secretaria Municipal de Cultura, Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo e Governo do Estado de São Paulo – ProAc Festivais de Artes II 2018/2019.

Foto: Marcelo Martins.