Conteúdo

Festival da Coreia abre espaço para cineastas santistas

17 de abril de 2019
11h 03

Detentora do selo de Cidade Criativa em Cinema concedido pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), Santos é um dos municípios em todo o mundo credenciados a integrar a programação do 3º Busan Intercity Film Festival (3º Festival de Cinema Interurbano de Busan), realizado na Coreia do Sul. O Comitê Executivo do festival, que integra a programação da rede criativa da Unesco, recebe este mês filmes que abordem o tema Our City (Nossa Cidade). O objetivo é destacar as identidades regionais.

A obra a ser inscrita deve enfocar sua cidade de origem ou ser captada por diretor local, com correspondência ao tema do evento. Cada município pode encaminhar até cinco produções, cada uma com tempo de duração máximo de 30 minutos, nos formatos MOV e MP4 com o codec H264. Todas devem ter legendas em inglês e, no máximo, dois anos de conclusão. Também é necessário enviar imagens estáticas do filme e fotos do diretor para divulgação em folheto informativo festival, além da ficha de inscrição (anexa) preenchida.

Os trabalhos e a documentação solicitada devem ser encaminhados para o e-mail santos.busan.2019@gmail.com até o próximo dia 21, com o título Santos Busan Film Festival. Caso sejam inscritos mais de cinco filmes, os trabalhos estarão sujeitos a avaliação de comissão formada por representantes da Prefeitura de Santos e sociedade civil organizada. As fichas de inscrição também podem ser solicitadas pelo e-mail.

O 3º Busan Intercity Film Festival ocorre entre os dias 31 de maio e 3 de junho. Busan possui o selo de Cidade Criativa em Cinema desde 2014. O selo de Cidade Criativa em Cinema de Santos é gerenciado pelo Escritório de Inovação Econômica da Secretaria Municipal de Governo (Segov).

 

Parceria com Busan teve início em 2018, com residência artística

 

A participação de Santos no Busan Intercity Film Festival teve início na segunda edição do evento, realizada no ano passado, com residência artística de 22 dias do cineasta santista Dandi Queiroz na cidade coreana, onde desenvolveu o curta-metragem Through our look (Pelo Nosso Olhar). Para tanto, recebeu US$ 1,4 mil do festival para produzir o filme com seu olhar sobre Busan.

Dandi, o primeiro brasileiro a integrar o evento, também exibiu outras três produções de sua autoria, todas curtas-metragens: Tocando Meu Destino (2015), Por Ela (2015) e Ferida (2016). “Foi uma experiência incrível participar do festival. Tocando Meu Destino foi o filme de abertura do evento. Ele conta a história do músico nordestino Lulinha Alencar, sanfoneiro e pianista, que é radicado em Santos e já se apresentou ao lado de artistas de renome nacional. Já os outros dois foram exibidos em mostras do festival. Por Ela conta a história de um casal e da superação do vício. Ferida aborda a violência contra a mulher”, conta o cineasta, diretor e roteirista, que tem cerca de 20 anos de carreira.

Para atuar em Busan, Dandi contou com ajuda de produtor e atores locais. “Foi uma experiência incrível pelo desafio de trabalhar em outro local, em outra cultura, mas fui muito bem recebido por todos. O filme que criei mostra o processo de ocidentalização da cidade e a resistência da rica tradição que ainda persiste na parte alta do município, mas que vem sendo consumida pelo desenvolvimento econômico”.

 

Fotos: divulgação 

 

 

Galeria de Imagens

Vista geral de Busan, na Coreia. Pracegover
Vista geral de Busan, na Coreia