Conteúdo

Exposição fotográfica no Aquário de Santos chama atenção para brinquedos encontrados nas praias

11 de janeiro de 2020
17h 17

No entorno do Aquário Municipal, na Ponta da Praia, imagens de objetos aparentemente inofensivos: bolas, relógio, trave de jogo de botão, urso de pelúcia, baldinho, cavalinho, boneca, caminhão, ioiô. Alguns inteiros, outros quebrados. Essa diversidade de brinquedos fotografados não estava no quarto de uma criança, mas na beira d’água de toda a extensão das praias de Santos. Ela integra a exposição fotográfica ‘Perdidos na Infância – uma arqueologia praiana do plástico’, do fotógrafo e arquiteto Marcos Piffer, inaugurada neste sábado (11) no parque, numa parceria com a Secretaria de Meio Ambiente (Semam).

Até o final da temporada de verão, a mostra quer chamar a atenção para a preservação ambiental. “É um grande alerta, um trabalho que tem vários níveis de observação, como a questão social, a educacional, a ambiental, já que a maioria dos objetos é de plástico, e a infância, pois se não cuidarmos das crianças, quem estará preocupado com o meio ambiente daqui alguns anos? É a arte como instrumento de educação”, diz o fotógrafo santista, que também entregou um jogo de memória com as imagens à equipe de Educação Ambiental do Aquário.

Ao todo, são 14 paineis com 94 imagens dos brinquedos coletados por Piffer, que servirão de instrumento educativo e meio de reflexão. “Queremos fazer de nossos equipamentos um instrumento de educação ambiental. Quem passar por aqui receberá essa mensagem importante de cuidado com o meio ambiente. Vemos aqui brinquedos que poderiam ser reutilizados, doados e melhor cuidados. É uma forma diferente de comunicação e que deve resultar em reflexão”, falou o secretário de Meio Ambiente em exercício, Eder Santana.

CONSCIENTIZAÇÃO DAS CRIANÇAS

Visitando Santos pela primeira vez com a família, o goiano Gutenberg Santos foi conhecer o Aquário e se deparou com a exposição do lado de fora. “São brinquedos da época da minha infância. O que mais me impressionou foi a quantidade que ele encontrou. As pessoas têm que ter mais consciência de onde descartar para não prejudicar o meio ambiente e precisamos conscientizar as crianças desde pequenas. Espero saber educar minha filha para que isso não aconteça”.

A moradora do Boqueirão, Avelina Blanco Bastos Dias, 82, prestigiou e concorda: “Temos que começar com as crianças. Conscientizando-as, elas conscientizarão os mais velhos”. Para Piffer, a exposição no Aquário é simbólica. “A mostra do lado de fora é uma representação do que acontece: os animais lá dentro do parque circundados por lixo. Como é o parque com maior fluxo de visitação, é importante mostrar ao turista e ao santista esse respeito pelo lugar que vivemos”.

JOGO DA MEMÓRIA E DOAÇÕES

O jogo da memória criado por Piffer, formado por 40 peças (ou 20 pares) e doado ao Aquário, será utilizado nas atividades de Educação Ambiental do parque, conta a chefe do setor, Edna Santos de Góes. “A partir desse jogo podemos sensibilizar as crianças com relação ao descarte do lixo correto, que cuidem bem de seus brinquedos e que não os deixem na praia, para não prejudicar a vida marinha”. Quanto aos brinquedos, o fotógrafo pretende lavá-los, recuperá-los e doá-los para crianças carentes.

Fotos: Marcelo Martins.

Confira o vídeo:

Galeria de Imagens

Jogo da Memória com imagens da exposição. #pracegover
Jogo da Memória foi doado ao Aquário.

Feedback

Ajude-nos a tornar o Santos Portal melhor. Deixe um comentário, dúvida ou sugestão.