Conteúdo

Estudantes de Santos promovem entrevista coletiva com músico

30 de julho de 2019
18h 23

“Qual a diferença entre samba e pagode?” “Você já teve vergonha de se apresentar em público?” “Qual foi seu primeiro sucesso?” Esta e muitas outras perguntas foram respondidas pelo músico e compositor Ricardo Peres, 61, do grupo Tempero, em entrevista coletiva concedida nesta terça-feira (30) a 20 alunos do 4º ano da escola municipal Lúcio Floro (morro José Menino).

A atividade faz parte do projeto 'Santos à Luz da Leitura', cujo tema em 2019 é “Território multicultural: traços de identidades e brasilidades”, com foco no samba e chorinho.

Formado em Engenharia Mecânica e Educação Física, Ricardo toca pandeiro há 40 anos e compõe desde os 28. Começou a carreira de artista compondo para a escola de samba União Imperial. “Tenho cerca de 600 músicas de minha autoria, e várias ficaram famosas como 'Vem amar', 'Vida de Amante' e 'Louca Paixão'.” Ele destacou que somente em homenagem ao Santos Futebol Clube escreveu 25 músicas. Para o Atleta do Século, fez 'Pelé na Vila Belmiro'. E para a terra natal, criou 'Santos, obra prima da mãe natureza', que virou clipe e todo ano passa na TV Tribuna, no aniversário da Cidade.

Ricardo contou para as crianças sobre a trajetória do grupo Tempero, em que atua desde o surgimento, em 1983. Falou sobre as dificuldades e a vaidade existentes no meio cultural e a efemeridade do sucesso. “Você vai ser jornalista”, disse Ricardo a Rhuan Costa Marcolino, 9, o que mais perguntou. “Consegui tirar todas as minhas dúvidas”, garantiu o menino, afirmando que depois da entrevista passou a entender melhor o tema.

O músico explicou para ele que samba é o ritmo mãe, tendo como derivados o raiz, o pagode, o romântico e o swingado. Maria Eduarda Meira dos Santos, 9, fã de Ferrugem e Thiaguinho, também curtiu a entrevista. “Perguntei porque ele escolheu Santos para mostrar seu talento e ele disse que Santos que o escolheu, pois nasceu e se criou aqui e é bairrista.”

A coletiva foi acompanhada pela professora Cibele Lima Graciliano da Silva e pela representante do 'Santos à Luz da Leitura', Valéria Vargas. Para Cibele, o projeto é importante porque mostra compositores e músicas antigas, desconhecidas da garotada. “Traz contexto cultural e melhora a leitura e a escrita.”

Galeria de Imagens

músico posa com estudantes #pracegover