Conteúdo

Escola de Artes Cênicas de Santos abre mostra e comemora 10 anos

9 de agosto de 2019
14h 59

Para muitos, o Teatro Guarany é um local que carrega a história de Santos em suas linhas arquitetônicas e apresentações que aquele palco abrigou. Mas para os estudantes da Escola de Artes Cênicas (EAC) Wilson Geraldo é um lar, um lugar de aprendizado e afeto.

“Quando penso na EAC, nesse local e nesse palco em que me descobri, vem à cabeça amor, garra, força, resistência e luta. Encontramos na escola tudo o que a gente precisa pra fazer teatro e para entender o mundo fora daqui. Além de compreender o seu material de trabalho, que é o próprio corpo, você começa a entender o que é ser humano”, declarou Christian Malheiros, formado na EAC e que desponta no teatro e em produções audiovisuais. O jovem ator de 19 anos, que está no elenco de ‘Sintonia’, série nova da Netflix, dirigida e produzida por KondZilla, era um entre os alunos presentes na noite de abertura da 4º Mostra EAC Wilson Geraldo, que celebra os dez anos da escola, mantida pela Secretaria de Cultura (Secult).

Criada em 2009, a Wilson Geraldo já teve a direção de Márcio de Souza e Roberto Peres, falecido em 2014 e bastante relembrado pelos seus ensinamentos. Atualmente é dirigida pela atriz Renata Zhaneta. “Foi uma tarefa muito difícil. Substituir o Roberto era uma responsabilidade grande. Aceitei o convite com carinho e vontade e fui muito bem acolhida por todos aqui. Sou professora de teatro há 30 anos, parei de dar aulas em São Paulo e, hoje em dia, estou só aqui e muito feliz”, disse Renata.

PRIMEIRA NOITE

A primeira noite da mostra teve início com a abertura da exposição com fotos e figurinos das montagens de peças clássicas realizadas pelos alunos como ‘O Rei da Vela’, de Oswald de Andrade; ‘Seis Personagens à Procura de Um Autor’, de Luigi Pirandello e ‘A Casa de Bernarda Alba’, de Federico García Lorca. Em seguida, as cortinas do teatro se abriram para o espetáculo de dança e poesia ‘Aquela que Eu Queria Ser’, com as professoras Laura Lavorato e Maria Inês Adad, sob direção de Diego Andrade.

A encenação foi seguida pela mesa de reflexão com ex-alunos da EAC que atuam em diversas áreas da cultura como moda, música, dança e o próprio teatro. Eles compartilharam suas vivências e falaram sobre a importância de ser ator além dos palcos. “O conhecimento que obtive aqui foi muito bem vindo no balé clássico. Acabei sendo escalado para espetáculos que exigiam muita carga dramática, que eram feitos por dançarinos com mais experiência, por causa da experiência e de tudo que estudei aqui”, afirmou o bailarino Natan Mesquita. “Hoje, eu sou dançarino, amanhã posso ser ator. Eu sou artista”, completou.

O secretário municipal de Cultura, Rafael Leal, falou sobre a importância das histórias que se iniciam ou que passam pela EAC. “São dez anos de uma instituição que formou centenas de atores e que hoje atende 150 alunos. Mas o que importa é a inspiração que proporciona. Hoje, temos aqui pessoas que ajudam a personificar esses números com histórias desse lugar para nos inspirar”, declarou.

Programação continua no fim de semana

A programação continua nesta sexta-feira (9), com a exibição da tese de doutorado ‘Práticas Artísticas: o Teatro Entre a Liberdade e a Política’, defendida pelo professor Judson Cabral, às 19h. Mais tarde, às 20h30, será apresentada a montagem ‘O Inspetor Geral’, com elenco da Escola Livre de Santo André e participação do professor Bruno Galdino.

No sábado (10), às 16h, estreia a peça infantil ‘Procurando Firme’, escrita por Ruth Rocha e adaptada por Neyde Veneziano, com elenco composto por professores, alunos e ex-alunos da EAC, além de atores convidados. Com direção de Marcio de Souza e Vanusa De Santis e supervisão artística Renata Zhaneta, a montagem foi criada para integrar o Hora da Cultura, projeto das Secretarias Municipais de Cultura e da Educação. Ainda no sábado, às 17h e às 20h, ocorrem as sessões do espetáculo ‘Patética’, com a Cia. Estável de Teatro, direção do professor Nei Gomes e patrocínio do Sesc-Santos. A entrada é limitada e os ingressos começam a ser distribuídos 30 minutos antes de cada encenação.

A agenda do domingo (11) começa com a reapresentação de ‘Procurando Firme’, às 16h. Para encerrar, às 18h, o público pode conferir os exercícios cênicos sobre teatro épico das duas turmas de formandos 2019, intitulados Aquele que Diz Sim e Aquele que Diz Não, de Brecht, e A Lua Muito Pequena e a Caminhada Perigosa, de Augusto Boal.

Galeria de Imagens

Público bate palmas na cerimônia #pracegover
convidados sentados em cadeiras no palco #pracegover

Feedback

Ajude-nos a tornar o Santos Portal melhor. Deixe um comentário, dúvida ou sugestão.