Conteúdo

Economia criativa é tema de palestra no Comunitas

16 de março de 2017
15h 09

As ações da Prefeitura que estimulam a economia criativa foram apresentadas em palestra nesta quinta-feira (16) na reunião do Comunitas, realizada no auditório da TV Tribuna (Centro Histórico). A proposta é contribuir para a redução de desigualdades sociais.

A estratégia da Administração, a curto prazo, é oferecer cursos de capacitação para o mundo do trabalho, no campo da economia criativa, onde a capacidade produtiva e as habilidades pessoais têm grande peso. A partir dessa qualificação a pessoa começa a gerar a própria renda.

O chefe de Governo, Rogério Santos, citou como exemplo as vilas criativas Mercado, Zona Noroeste, Morros e da Área Continental, que juntas oferecem 1,5 mil vagas de qualificação por ano. Ele acrescentou que a Cidade tem 1.350 empregos formais relacionados à economia criativa.

Em 2015 a Unesco elegeu Santos como cidade criativa no cinema, lembrou o secretário, que apresentou os números que contribuíram para esse reconhecimento internacional: 25 salas de cinema, sendo três públicas; dez teatros, dez museus, cerca de 300 imóveis protegidos legalmente devido a sua importância histórica; 75 tipos de cenários; 380 empresas relacionadas ao cinema, nove festivais e 50 produções/ano.

Economia
A queda de receita do Município, afetado pela economia nacional, foi apresentada pelo secretário de Finanças, Maurício Franco. No ano passado houve redução de 6,7% na arrecadação, que ficou em R$ 1,513 bilhão, ante a expectativa de arrecadar R$ 1,622 bilhão.

Investimentos sociais
A Comunitas é uma organização da sociedade civil que tem como objetivo contribuir para o aprimoramento dos investimentos sociais corporativos e estimular a participação da iniciativa privada no desenvolvimento social e econômico do país. O grupo se reúne periodicamente para debater políticas públicas.