Conteúdo

Criada comissão para transição da gestão municipal

16 de novembro de 2020
14h 17

O processo de transição da atual gestão municipal de Santos para a próxima administração, que assumirá a partir de 1º de janeiro, começou nesta segunda-feira (16) com a criação da Comissão Especial de Apoio à Transição do Governo Municipal.

O objetivo do grupo, formado por secretários municipais do governo em vigor e membros da assessoria do futuro prefeito, é prestar assistência e apoio técnico-administrativo para a gestão 2021-2024. A comissão foi instituída pelo decreto 9.128, assinado nesta segunda (16) durante primeira reunião de trabalho, quando foram definidos os nomes dos integrantes que a compõem.

O anúncio foi feito na sala de situação do Paço Municipal, no Centro, pelo prefeito Paulo Alexandre Barbosa. Também assinaram o documento Rogério Santos e Renata Bravo, eleitos prefeito e vice-prefeita da Cidade no último domingo (15).

“A Cidade não pode perder tempo em tomar decisões importantes para que avancemos com os projetos. Com o adiamento da eleição, o prazo de transição ficou mais enxuto. Então, hoje nomeamos essa comissão que vai elaborar todo o plano de trabalho e organizará os contratos e metas que cada uma das áreas da gestão pública deverá cumprir com a Cidade, em especial aos que mais precisam”, afirmou o prefeito Barbosa.

COMPETÊNCIAS

Compete à comissão compartilhar informações sobre a situação das finanças, gestão, projetos, obras e serviços da Prefeitura; promover a articulação dos trabalhos de transição junto a órgãos e entidades da administração municipal; auxiliar no planejamento para a implantação dos compromissos do plano de governo e participar da elaboração de documentos, minutas e projetos pertinentes à transição. O grupo, vinculado ao Gabinete do Prefeito, será coordenado por Renata e será formado ainda pelos atuais secretários de Governo, Flávio Jordão, e de Finanças, Maurício Franco; o ouvidor público Rivaldo Santos; o chefe de gabinete, Sylvio Alarcon; a procuradora geral, Renata Arraes; os assessores do próximo chefe do Executivo, Rafael Oliva e Raíssa Ribbe de Figueiredo.

Para Rogério, o decreto é o primeiro documento de um processo que finalizará em um contrato de gestão. “Fizemos nosso plano de governo e é fundamental que o primeiro ato como prefeito seja esse documento em que todos os secretários nomeados assinarão o compromisso com a Cidade de continuar avançando”. Renata ressaltou que “nosso compromisso agora é não perder tempo e é por isso que iniciamos hoje esse trabalho de transição”.