Conteúdo

Cresce participação de empresas da região em concorrências públicas de Santos

28 de julho de 2019
11h 18

Cresceu de 31% para 48% a participação de empresas da Baixada Santista nas concorrências públicas promovidas pela Prefeitura de Santos (exceto as do setor de saúde). Os dados comparativos são referentes ao ano de 2018 (R$ 95,2 milhões pagos a empresas da região, de R$ 304,4 milhões contratados pela Prefeitura) e ao primeiro semestre de 2019 (R$ 35,1 milhões de R$ 73,2 milhões).

O aumento da parcela de empreendedores da região nos processos licitatórios do Município é incentivado pela Secretaria de Gestão (Seges) por meio do programa Licita Santos Fácil, que inclui um aplicativo (sistema Android) lançado há um ano para emissão de alertas filtrados por datas e áreas de interesse.

Já este ano, teve início uma série de cursos voltados a empreendedores locais, oferecidos pela Escola Municipal de Administração Pública de Santos (Emaps). Um dos instrutores é o oficial de Administração da Seges Anderson Martins, que cita os ganhos da economia com participação de empresários regionais. “Se uma empresa de alguma cidade vizinha vence uma licitação para um serviço, o trabalhador contratado pode ser de Santos e o material utilizado também pode ser comprado aqui”.

Ele também atenta para a importância do acompanhamento dos processos licitatórios, mesmo pelo empreendedor que não deseja concorrer. “Se você sabe qual foi a empreiteira contratada para uma obra, pode oferecer equipamentos de proteção individual ou refeições, por exemplo”.

Os cursos são ministrados em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e contam com auxílio da Câmara dos Dirigentes Lojistas de Santos (CDL) e do Sindicato do Comércio Varejista. A próxima edição será realizada em 29 de agosto. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone 3201-5225.

 

PERFIL

Das concorrências públicas realizadas pelas Comissões de Licitações (excluindo o setor de saúde), 90% são pregões eletrônicos. Entre as empresas da Baixada Santista, a maior parte dos processos vencidos este ano foi para aquisição de alimentos, locação de equipamentos (como guinchos e empilhadeiras) e sonorização de eventos. A lista ainda inclui compras de materiais elétricos e de limpeza, além de gás de cozinha e aparelhos telefônicos.