Conteúdo
Notícias

Centro faz aniversário e comemora saldo positivo de negócios

Publicado:
16 de agosto de 2019
12h 49
Imagem feita de dentro de loja com vista para uma praça. Dentro da loja estão camisas penduradas em araras e manequins com roupas. Na rua passa uma pessoa e um ônibus ao fundo. #Pracegover

Maria Estela Galvão

Região de importância histórica e econômica para Santos, o Centro, que tem seu dia celebrado nesta sexta-feira (16), é considerado referência para setor empresarial e continua atraindo importantes empreendimentos. Atualmente com 990 estabelecimentos do comércio varejista e de alimentação em funcionamento, o bairro também vem registrando saldo positivo de negócios.

Balanço do primeiro semestre deste ano aponta que 754 empresas estão em atividade no setor do comércio varejista e outros 236 restaurantes, bares e lanchonetes. Dados que indicam uma importante estabilidade nos dois segmentos.

No comércio varejista, em 2017, o total de empresas era de 744. Em 2018, o número subiu para 750 e o primeiro semestre deste ano já registra 754 em funcionamento.

‘’Entre 2016 e 2017, o país viveu um período de recessão e estagnação, que explica muito sobre o comportamento das empresas nesses dois anos. Depois, passamos para uma fase estável’’, explica o assessor da Secretaria de Finanças, Fernando Wagner Chagas.

Situação semelhante ocorreu com o setor da alimentação. Em 2017, eram 228 empresas. No ano passado, houve leve queda, para 218 negócios. Mas, neste primeiro semestre de 2019, o total já é de 236.  ‘’O número de empresas de alimentação em funcionamento representa um dado importante. Mostra a vida no Centro, que concentra uma quantidade muito grande de trabalhadores’’, reforça Chagas.

SALDO

 

Considerando o total de empresas abertas e fechadas no Centro de Santos, o saldo de novos negócios é positivo há vários anos. Em 2016, por exemplo, em plena crise econômica, foram abertos 91 estabelecimentos de varejo e alimentação e fechados 69, o que dá um saldo de 22 comércios.

Em 2017, 157 abriram e outros 60 encerraram as atividades: saldo de 97 empreendimentos. E no ano passado, enquanto 92 iniciaram atividades, 63 encerraram, fazendo 2018 terminar com saldo positivo de 29 empresas.

‘’Estamos seguindo a tendência este ano. No primeiro semestre, foram 45 aberturas contra 28 fechamentos de negócios no comércio e alimentação’’, ressalta Chagas.

 

MAIS ATRATIVO

Segundo o secretário de Governo, Rogério Santos, a reestruturação projetada pela Prefeitura para o Centro tornará a região ainda mais atrativa para novas empresas. Ele destaca a visita à Cidade de representantes do renomado arquiteto Jaime Lerner, contratado (sem custos à Prefeitura) para realizar o projeto executivo de reestruturação do bairro, trabalhando o incentivo à habitação e à atividade comercial em harmonia com a preservação do patrimônio histórico.

‘’O Centro também receberá a linha do VLT, além de ser espaço importante para empreendimentos relacionados à economia criativa, um dos setores que mais crescem na economia mundial. O bairro é charmoso, haja vista o grande número de novelas e comerciais de TV rodados na região, e é nossa meta trabalhar para que se mantenha ativo’’.

 

NOVAS EMPRESAS

 

Enquanto a Administração Municipal trabalha para fomentar o desenvolvimento do Centro, a região recebe novas empresas, como as redes Caedu e Lojas Mel. E novos empreendedores apostam que o bairro é o local ideal para abrir um negócio. É o caso dos sócios Luis Lima e Natália Maldi, que decidiram apostar no bairro e abrirão, no dia 19 de setembro, uma franquia da Duckbill Cookies, na Rua Riachuelo, 37. A empresa chega a Santos oferecendo cafés, cappuccinos e frapuccinos, mas o forte, certamente, serão os cookies de 120 gramas, preparados artesanalmente e com 15 sabores diferentes.

‘’O Centro tem muitos trabalhadores que estão sempre com pressa e não conseguem comer. Nós sentimos que faltava um lugar em que as pessoas pudessem entrar, pedir um café e um cookie e sair rapidamente’’, explica Lima.  

Já Roberta Torre procurava um local para a segunda loja da Madalena Brigadeiros, com sede no Boqueirão, e conta que sempre teve vontade de ter um um espaço no Centro. Até que surgiu o lugar perfeito, na Praça Rui Barbosa, e a casa foi aberta há oito meses. ‘’É passagem de ônibus e atendemos muitos turistas que passam de bonde e resolvem descer’’.

Confiante de que o Centro é uma região com grandes possibilidades para os negócios, Roberta está contente com a ampliação do comércio. ‘’Queremos que ele se torne um local comum para o santista passear’’.

 

TRADIÇÃO E TRANSFORMAÇÃO

 

A poucos metros dali, a loja o Ao Camiseiro, uma das mais tradicionais a Cidade, com 92 anos de funcionamento, há 11 abriu uma segunda unidade, no Shopping Parque Balneário, no Gonzaga. Mas é no Centro o maior movimento na rede, conta Giovanna Bio Pappacena Carneiro, uma das responsáveis pelo comércio.

‘’Fizemos uma grande reforma em 2012. Aqui é maior e temos uma clientela que já trabalha no Centro. Acreditamos e apostamos no bairro. Agora estamos na expectativa do Santos Criativa, porque vai trazer ainda mais empresas para a região’’.

Localizada na Praça Mauá há 82 anos, a loja A Musical também passou reformas, há dois anos, quando seus proprietários decidiram que era hora de se reinventar. A loja de CDs e DVDs sofria com a queda de movimento. ‘’Aqui sempre foi ponto de encontro. Tivemos a ideia de fazer um café. Santista gosta de tomar um café. E voltamos ao que era a loja antigamente’’, conta Marcia de Oliveira Rodrigues Pedroso, uma das donas do negócio. Há oito meses, um novo passo e o negócio foi parar na internet.

Marcia ressaltou que é importante o comerciante fazer a sua parte e se manter atualizado no setor. ‘’Muitos ficam esperando pela ajuda do poder público, mas uma grande parte dos problemas é de gestão empresarial’’.

O empresário Guilherme Brum sabe bem o que representa ser dono de um negócio, que dirá responder por três empreendimentos. E todos no Centro: a Tasca do Porto, na Rua XV de Novembro, o Restaurante Canteiro, na Praça Mauá, e a Madalena Brigadeiros, da qual é sócio.

Enquanto a Tasca tornou-se referência em comida portuguesa na Cidade, o Canteiro trouxe uma proposta de comida por quilo mais saudável. ‘’Apostamos no Centro e achamos que a região pode crescer ainda mais com o desenvolvimento do turismo’’, opina.

 

AÇÕES DA PREFEITURA

 

Ciente do potencial econômico do bairro e da importância de atrair cada vez mais empreendimentos para a região, a Prefeitura vem tomando várias medidas, entre elas o Programa Santos Criativa para revitalizar a área central e movimentar a economia criativa.

Criado como Projeto de Lei Complementar (PLC), o programa, já encaminhado à Câmara Municipal, prevê isenções fiscais de até R$ 6,6 milhões para empresas instaladas no Centro, região do Mercado, Paquetá e Valongo.

A ideia é conceder isenção de 50% do Imposto Predial Territorial Urbano (IPTU) e dos valores totais de Imposto Sobre Serviços (ISS) Fixo (para sociedades uniprofissionais), isenção total do Imposto sobre Transmissão de Bens Imóveis (ITBI), Taxa de Licença e Taxa de Publicidade. O ISS Faturamento terá redução da alíquota para 2% (mínima exigida por lei federal).

Em troca, o empreendedor terá que contratar ao menos metade dos profissionais por meio do Centro Público de Emprego e Trabalho (CPET) de Santos e atuar em parceria com o Município na divulgação de atrações turísticas, culturais e esportivas e de campanhas de interesse público.

‘’Estamos proporcionando isenção total ou parcial de todos os tributos relacionados a atividades comerciais e incentivando a aquisição de imóveis no Centro para a finalidade econômica, gerando emprego e renda’’, explicou Carolina Coelho, chefe da Seção de Publicidade da Secretaria de Finanças.

 

PLANO DE METAS

 

A Administração Municipal também anunciou um plano de metas para o desenvolvimento da região central, que será incorporado ao programa de Participação Direta nos Resultados (PDR), englobando todas as secretarias municipais.

Segundo o ouvidor público municipal Rivaldo Santos, todos os compromissos importantes gerados a partir da reivindicação de comerciantes do bairro, que vão da ampliação da iluminação e da segurança à revitalização de calçadas, será inserido no plano de metas.

‘’São metas a curto, médio e longo prazos, independentemente de quem está no governo. É importante que quem chegar já saiba das prioridades do Centro e que as priorize nas secretarias para que sejam executadas. Isso evita retrabalho e descontinuidade e vamos atualizar esse plano todo ano’’, reforça.

 

GRUPO DE TRABALHO 

 

Há quase três anos, a Prefeitura mantém, por meio da Ouvidoria, Transparência e Controle (OTC), o Grupo Técnico de Trabalho do Centro, o GTT do Centro, canal de comunicação via WhatsApp entre comerciantes, empreendedores e gestores da Administração Municipal.

‘’É uma forma de facilitar o diálogo entre a Prefeitura e comerciantes e agilizar a tomada de decisões. Há demandas de zeladoria, postura, fiscalização. Tudo é levado para este canal, onde os próprios gestores tomam ciência, o que dá rápido encaminhamento aos pedidos. Participam do grupo gestores que têm relação direta com o Centro, como representantes do Conselho de Segurança (Conseg) do bairro e da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL).

 

SHOWS E FESTIVAIS

 

Sucesso de público e com recorde de atrações, o Festival Santos Café, realizado em julho, consolidou o Centro Histórico como região de forte potencial para eventos. Foram mais de 80  mil pessoas e 83 atividades, com aprovação de 99,7% do público. ‘’Esse público participativo, formado por santistas e turistas, nos motiva a buscar o aprimoramento. O Centro Histórico merece’’, reforça o secretário de Turismo, Odair Gonzalez.

E o bairro promete pura agitação no dia 7 de setembro, quando será realizado, na Praça Mauá, o concerto Clássicos do Rock, com a participação da Orquestra Sinfônica Municipal de Santos (OSMS) e do músico Cristopher Clark no vocal, Bruno Silveira na bateria, Mauro Hector na guitarra e Paulo Faria no baixo. A apresentação revive o histórico show do réveillon 2019, que foi assistido por mais de 100 mil pessoas na orla.

 

Entre os dias 14 e 17 de novembro, o Centro será tomado pelo maior evento gratuito da cultura geek do País. Será o 3º Santos Criativa Festival Geek, com dezenas de atrações relacionadas a games, animes, seriados, livros, redes socais e quadrinhos. Sem contar os shows musicais, campeonatos e outras atividades.

 

DIA DO CENTRO 

 

É de 16 de agosto de 1857 o registro do primeiro número do periódico “O Comercial”, com uma linha editorial que revelava uma especial preocupação com o comércio e com o bairro do Centro. Reconhecendo a importância da área para a cidade de Santos, em 15 de agosto de 2000, a Prefeitura, por meio da lei nº 1.891, instituiu o dia seguinte como o Dia do Centro.

Galeria de Imagens

Interior de loja de doces com movimento de público. #Pracegover
Brigaderia na Praça Rui Barbosa aproveita movimento de turistas
Restaurante com mesas ocupadas à esquerda e fila de consumidores para se servir, à direita. #Pracegover
Restaurante é aposta de que região pode crescer com turismo
Fachada de estabelecimento em obras. #Pracegover
Rede de franquias aposta em cookies
Mulheres sentadas a uma mesa tomam café. Ao fundo, uma estante com inúmeros DVDs. #Pracegover
A Musical, em atividade há mais de 80 anos, junto cafeteria ao negócio