Conteúdo
Notícias

Caixas de leite viram cobertores nas mãos de alunos de escola municipal de Santos

Publicado: 9 de novembro de 2021 - 16h01

Você sabia que caixas de leite vazias podem ser transformadas em cobertores? Os alunos de duas turmas do quarto ano da escola municipal Therezinha de Jesus Siqueira Pimentel, no Morro São Bento, aprenderam que sim e já estão confeccionando as peças para serem distribuídas, em breve, aos moradores em situação de rua. A ação faz parte do projeto ‘Seja flor por onde for: o caminho para a construção de princípios éticos, sustentáveis e solidários’, das professores Renatta Burgos e Ana Carolina Romero Martim Pimenta.

Esta é a segunda etapa da iniciativa, que começou com a produção de casinhas para abrigar cachorros e gatos de rua no bairro da escola . “A repercussão da primeira fase do projeto foi tão positiva que resolvemos, junto aos alunos, continuar, mas agora com os cobertores. Todos ficaram muito envolvidos e, desde o início da ação, em maio deste ano, já recebemos a doação de mais de mil caixinhas de leite. Muito bom ver a escola, famílias e estudantes integrados”, explicou a professora Renatta.

Ela contou que o ‘Seja flor por onde for’ tem o objetivo de desenvolver a empatia, a autorresponsabilidade, o autocuidado e a atenção com o próximo. “Quando a criança aprende a cuidar do seu semelhante, de um animal, ela aprende a ser um cidadão do bem, com um olhar sensível e amoroso para a sociedade. Além disso, a ação é interdisciplinar, trabalhando conteúdos de sala de aula”.

COBERTORES

Para que o cobertor fique pronto, os alunos precisam higienizar as caixinhas de leite vazias, colocar para secar, abrir ao meio e separar por tamanho para que a peça não fique torta. A finalização é a costura, feita pela professora Ana Carolina Romero Martim Pimenta. “Precisamos de mais ou menos 28 caixas para fazer um cobertor, que também pode ser utilizado como uma esteira, pois é térmico e não deixa passar a umidade do chão”, disse Ana Carolina.

A professora não costurava antes da iniciativa, mas sempre teve vontade de aprender. “Minha tia e avó são costureiras e sempre achei legal, mas eu não tinha essa habilidade desenvolvida. O projeto foi o empurrão que precisava para comprar a máquina portátil. Depois disso, minha avó me ensinou. Eu costuro o cobertor na classe mesmo para que as crianças vejam este momento”. Ela ressaltou que é muito bom ver os alunos pensando no próximo e nos animais. “Eles se importam de verdade”, completou.

CIDADÃOS DO BEM

A estudante Sophia Vitória da Silva Lima, 11, afirmou que vale muito a pena fazer parte do projeto. “É uma forma de agradecer tudo de bom que eu tenho na minha vida”. Miguel Silvestre Moura Pereira, 10, também está muito animado com as ações. “Ajudar é muito importante”. Gabriela da Silva Barbosa, 9, chegou a se emocionar ao falar de seu amor pelas pessoas e pelo os animais. “Estou muito feliz em poder colaborar”.

O projeto ainda está arrecadando caixas de leite vazias. Para doar, basta levar até a unidade, na Rua São Roque s/nº - Morro São Bento.

 

Galeria de Imagens

Aluno corta caixas e professora costura #paratodosverem
Alunos e professora manuseiam caixas de leite #paratodosverem
Sala de aula com vários alunos sentados preparando o material #paratodosverem
Professora com máquina costura caixas de leite #paratodosverem
Caixas de leite cortadas e grudadas em cima da mesa #paratodosverem
Professora manuseia caixas de leite #paratodosverem