Conteúdo

Banda comunitária de caruara faz show na praça mauá

22 de setembro de 2000
0h 00

Eles viajaram 55 quilômetros, passando por três estradas - Rio-Santos, Piaçaguera-Guarujá e Anchieta -, para se apresentar na Praça Mauá, ontem (21), dentro do ´Projeto Semana da Primavera´, que termina hoje (22): são os músicos da Banda da Emef Judoca Ricardo Sampaio, de Caruara, composta por estudantes, professores e pais de alunos, que fizeram o Centro parar, na hora do almoço, para ouví-los. Segundo a diretora, Alice Maria Martins Ribeiro, a maioria dos alunos mal conhece a parte insular da Cidade e alguns estavam vendo o prédio da Prefeitura pela primeira vez. "Caruara é uma área carente, em que a única área de lazer é a quadra esportiva da nossa escola", conta Alice. "A fanfarra resgatou as crianças das ruas, das drogas e do sexo precoce. Os instrumentos de percussão foram doados pela Escola de Samba Em Cima da Hora, quando ela se desfez; os de sopro, foram obtidos por doações ou pertencem à comunidade. Pais de alunos vêm tocar e ensinar a tocar na escola". Solidariedade Com isso, a diretora conta que "a imagem dos pais melhorou. Eles deixaram de ser aqueles homens 'quadrados' por mostrar que têm o que ensinar para os filhos". A solidariedade também corre solta entre os docentes. "O regente Heverson Carlos da Conceição, que todos chamam de Padre Miguel, porque pertenceu à escola de samba do Rio de Janeiro com o mesmo nome, coordena a percussão da banda voluntariamente, enquanto um dos professores cuida dos instrumentos de sopro e dá uma 'canja', tocando na banda o trombone de vara e a marimba. Outra professora, da escola de Monte Cabrão, toca flauta junto com os alunos. "Nossa banda é mesmo comunitária e conta com o apoio do Fundo Social, que fornece tecido para os uniformes e calçados. Mas precisa de mais ajuda, para que mais alunos tenham oportunidade de participar e possamos ao menos dar uma ajuda de custo para o regente", resume a diretora. Balizas Para a felicidade dos ´office-boys´ que estavam na praça, a banda trouxe 13 balizas: garotas vestidas com minissaias azuis, dançando, marchando e fazendo evoluções com arcos, o que deu à festa um clima de olimpíada, sob o som de 'Carruagens de Fogo'. A banda ainda mostrou antigas marchinhas de Carnaval, que fez os mais velhos recordarem as letras e os bailes de salão, e mostrou o que sabe, interpretando 'Aquarela do Brasil' e o clássico 'Ave Maria', em ritmo de samba.